Categories: Giro do Boi

Wessel lança hambúrguer vegetal

Na quinta geração de açougueiros, os Wessel não querem ficar de fora do mundo vegetal. Conhecidos pelo hambúrguer de carne bovina e pelos cortes de churrasco gourmet, os descendentes de húngaros criaram uma nova companhia para disputar o paladar dos “flexitarianos”.

Em sociedade com a Bela Vista Investimentos, fundo ex- HSBC que administra cerca de US$ 100 milhões, os Wessel fundaram a Meta Foods, dedicada ao cada vez mais agitado mercado de plant-based.

A novata investiu R$ 20 milhões para erguer uma fábrica em Araçariguama (SP), no mesmo terreno onde fica a planta da Wessel. Os primeiros produtos desenvolvidos pela Meta, um hambúrguer vegetal temperado com páprica e outro com cebola, estão em fase final de cadastro em redes como Carrefour e Pão de Açúcar. Mas já estão disponíveis no armazém gourmet Varanda, que fica no bairro paulistano da Cidade Jardim. A embalagem com duas unidades custa R$ 24, o que embute um prêmio sobre os rivais desse segmento.

Os Wessel chegam a um mercado cada vez mais disputado. De gigantes como JBS, Marfrig e BRF a foodtechs como a pioneira Fazenda Futuro, New Butchers e NotCo, ninguém quer perder a chance de abocanhar o crescente negócio das proteínas vegetais que imitam carne, atraindo as gerações cada vez mais preocupadas com o bem-estar animal e questões ambientais.

Responsável por fazer a fama da família nas últimas décadas, István Wessel rejeita o rótulo de startup. “Não somos uma foodtech. Somos uma família que produz comida com textura, suculência e qualidade há 62 anos aqui no Brasil”, afirmou. Na Hungria, onde o empresário nasceu, os ascendentes já se dedicavam à carne.

A proposta da Meta Foods é diferente da concorrência. Sob a batuta de István, a empresa não quer copiar o sabor da carne, mas apenas sua textura e suculência. Por isso, a fórmula não inclui aromas artificiais e conservantes. “Somos a alternativa de um bom sanduíche, e com sabor próprio”, disse Cristiano Boccia, sócio da Bela Vista Investimentos – o fundo tem 50% do capital da Meta Foods.

Coube a Titi Wessel, filha de István, desenvolver o hambúrguer da Meta desde o começo, da formulação à identidade da marca. “Os primeiros testes ficaram muito longe do produto final. Mas começamos já pensando em não ter gosto de carne”, afirmou. O desenvolvimento do produto começou em 2019.

Para dar suculência, evitando que o hambúrguer ficasse estorricado – comum às da fórmula é a hidratação da proteína texturizada de soja, matéria-prima fornecida pela DuPont. “Se não fizer a hidratação corretamente, pode estragar”, contou ela.

Titi Wessel também está à frente da próxima leva de produtos que serão lançados pela Meta. O próximo a chegar às gôndolas deve ser hambúrguer vegetal já grelhado. A ideia é trazer mais praticidade para consumidores que não tenham intimidade com a cozinha. Para ficar pronto, basta aquecer o produto em microondas ou fritadeiras.

Mas a Meta não deverá ficar restrita aos hambúrgueres. Em 2021, a companhia pretende lançar um empanado de frango plant-based. “Vamos terminar de desenvolver neste ano e lançar entre fevereiro e março”, adiantou a empresária.

Com uma fábrica exclusiva, a sociedade entre Wessel e o fundo Bela Vista tem espaço aberto para expandir a produção. A unidade, que atualmente tem equipamentos para produzir cerca de 10 toneladas mensais, pode ampliar a produção em dez vezes com a aquisição de outras máquinas, explicou István.

Ao Valor, o sócio da Bela Vista afirma que não há pressa para ter o retorno sobre o investimento feito na Meta. “Como fundo, trabalhamos com horizontes de seis anos. Mas o negócio de plant-based ainda está em fase inicial. Não temos pressa. O intuito é maturar a criação da marca”, afirmou. No começo, a marca Wessel ajudará a dar prestígio à Meta. Com o tempo, a marca da família pode sair de cena.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 20 de novembro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Exportação na Argentina: governo incentiva frigoríficos a dar detalhes dos embarques

Após as medidas anunciadas sobre a criação de um cadastro para "monitorar" as exportações de… Read More

16 de abril de 2021

Avaliada em R$ 86,6 bi, JBS renova máxima histórica na B3

Impulsionadas pelas perspectivas amplamente favoráveis para os negócios nos EUA, as ações da JBS renovaram… Read More

16 de abril de 2021

Minerva quer zerar até 2035 suas emissões de carbono

A Minerva Foods, maior exportadora de carne bovina da América do Sul, anunciou ontem que… Read More

16 de abril de 2021

Indústria de bacon vegetal atrai investimento de Robert Downey Jr.

A ascendente indústria de proteínas de base vegetal atraiu o Homem de Ferro. O ator… Read More

16 de abril de 2021

Pesquisadora brasileira vai criar a primeira carne cultivada do País

A pesquisadora Bibiana Matte, da Núcleo Vitro, está desenvolvendo a primeira carne cultivada do País.… Read More

16 de abril de 2021

Milho: clima ruim na América do Sul provoca forte alta em Chicago

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para  milho fechou a sessão desta quarta-feira, 14,… Read More

16 de abril de 2021