Ministério da Agricultura negocia mais verba para defesa agropecuária
16 de julho de 2021
Consumo interno fraco de carne bovina põe boi gordo na sala de espera
16 de julho de 2021

Volume de carnes exportadas no 1º semestre aumentou 5%; a receita cambial, perto de 10%

Os dados compilados pelo MAPA junto à SECEX/ME apontam que no primeiro semestre de 2021 o Brasil exportou pouco mais de 3,750 milhões de carnes, resultado que representou aumento de 5,3% sobre idêntico período de 2020.

Em valores relativos, a maior contribuição para esse aumento foi dada pela carne suína, cujo volume aumentou 17,3% em relação ao mesmo período do ano passado, correspondendo a um adicional pouco superior a 80 mil toneladas.

Porém, em volume físico, a principal contribuição veio da carne de frango, com 123 mil toneladas adicionais, quantidade que representou aumento de 6% sobre o primeiro semestre de 2020 e – a exemplo da carne suína – o melhor primeiro semestre de todos os tempos.

Já os embarques de carne bovina apresentaram ligeiro retrocesso: as 874 mil toneladas embarcadas representaram, fisicamente, 33 mil toneladas a menos que no ano passado e, em valores relativos, redução de 3,6%.

Essa queda, entretanto, foi totalmente neutralizada pela recuperação do preço médio, que aumentou 8,2%. Mas, nesse aspecto, a carne bovina não esteve sozinha: o preço médio da carne de frango aumentou 3,8% e o da carne suína 6,8%.

Em decorrência, as três carnes encerraram o semestre com expansão na receita cambial. A da carne bovina aumentou 4,3%, a da carne de frango 10% e a da carne suína 25,3%, tudo resultando em um aumento global de 9,2%.

Fonte: Avisite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *