Utilização da cama de frango como adubo orgânico de pastagens

O uso integrado e racional dos recursos disponíveis dentro da propriedade rural aliado a introdução da tecnologia, permite aumentar a estabilidade dos sistemas de produção com a redução de custos e aumento da produtividade. Segundo a EMBRAPA Milho e Sorgo (2008), a associação dos diversos componentes em sistemas juntamente com a preservação do meio ambiente, estabelece o princípio da reciclagem, onde o resíduo de um sistema passa a ser o insumo para que o outro produza.

Os sistemas agropecuários dão origem a vários tipos de resíduos orgânicos, os quais quando corretamente manejados e utilizados fornecem nutrientes para a produção de alimentos melhorando as condições físicas, químicas e biológicas do solo. Quando inadequadamente manuseados e tratados, constituem fonte de contaminação e agressão ao meio ambiente, especialmente quando direcionados para os mananciais hídricos.

As produções viáveis, tanto de grãos quanto de pastagens, pressupõem a oferta de nutrientes às plantas em quantidade e qualidade compatíveis com a obtenção da produtividade que se pretende. Os diversos sistemas de produção animal recebem seus alimentos por meio dos concentrados e das forragens, sejam estas, cultivadas ou nativas. Somente uma parte destes resulta em ganho de peso e crescimento, sendo a maior parte eliminada por meio das fezes e urina. A transformação dos resíduos em insumos agrícolas exige adoção de adequados processos de tratamento, dentre eles, o armazenamento e manejo de aplicação.

Nos sistemas de produção de leite e carne em pastagem, o uso da cama de frango como adubo orgânico é uma saída atrativa encontrada pelos produtores, por tornar a produção mais rentável em virtude da substituição de parte ou totalidade do adubo químico, principalmente a uréia, além do potássio e até mesmo o fósforo. Segundo Benedetti et al. 2009, a substituição do adubo químico na forma de uréia pelo uso da cama de frango pode ser utilizada em pastagens com capim Panicum maximum cv. Mombaça, em sistemas de lotação rotacionada. De acordo com Kiehl (1997), o efeito da matéria orgânica sobre a produtividade pode ser direto por meio do fornecimento de nutrientes ou pelas modificações das propriedades físicas do solo, melhorando o ambiente radicular e estimulando o desenvolvimento das plantas.

Com baixo custo e rica em nutrientes, a cama de frango é feita normalmente, com maravalha ou casca de arroz, café e palhadas. Nos galpões avícolas, a cama tem o objetivo de evitar o contato direto da ave com o chão, além de favorecer a absorção da água e a incorporação de fezes, urina, penas, descamações da pele e restos de alimento. Portanto, calcular custos e benefícios com as proximidades dos galpões produtores de cama e sua composição, é muito importante em virtude de sua baixa densidade em relação a custos com transporte e também com as quantidades a serem aplicadas nas áreas de cultivos.

A utilização dos resíduos depende do conhecimento de sua qualidade. A maioria dos sistemas de produção de suínos gera dejetos com o conteúdo de matéria seca variando de 1,7 a 3,5%, os de bovinos confinados, de 5 a 16% (EMBRAPA, 2008) e as camas de frango, entre 70,7 a 78,7% (Tabela 1), mesmo sendo esta, de uma mesma granja. Esses conteúdos poderão variar dependendo do manejo, composição da alimentação e desperdício dos comedouros e bebedouros. Assim, o conhecimento desses valores é a base de cálculo da reposição de nutrientes exigida pelas culturas.

Tabela 1. Parâmetros e composição química da cama de frango com casca de café no município de Amparo/SP, em função do número de criadas. Propriedade são José, galpões semi-automatizados.

O uso da cama de frango como adubo orgânico está sendo muito difundido, não somente como adubação de pastagens, mas também para hortaliças, milho, algodão e café. É de grande importância que o produtor utilize um material de excelente qualidade, livre de produtos químicos e de certa forma, padronizado quanto à composição química. O sistema produtivo Brasileiro de frango permite a reutilização da cama com variação de uma a oito criadas, segundo especialistas. Assim, deve-se atentar com a qualidade da cama a ser utilizada a fim de se alcançar os objetivos quanto à reposição de nutrientes nas mais variadas culturas.

A reposição dos nutrientes do solo deve se basear na extração ou na produtividade desejada. Certamente, as culturas de maior produção requerem maiores reposições de nutrientes com distintas recomendações de adubações. Assim, não somente a quantidade e sim a qualidade do adubo orgânico utilizado é de grande importância para o sucesso. Dados da Tabela 1, em relação à composição química de quatro camas de frango com casca de café retiradas de uma mesma granja, pode-se observar diferenças percentuais em relação ao número de criadas para os parâmetros analisados.

Considerando aumento significativo nos preços dos diversos insumos agrícolas e pecuários, trabalhar com diminuição dos custos torna-se no momento, obrigação para permanência em qualquer que seja a atividade agrícola ou pecuária. Assim, com os altos preços dos adubos químicos, o uso da cama torna-se uma saída viável. Para tanto, usá-la de forma compulsiva, sem prévia recomendação implicará em grande erro. Assim, como ocorre com as diversas formulações de adubo no mercado, com diferentes concentrações de nitrogênio, fósforo e potássio (NPK), além dos micronutrientes, como o zinco e outros, ocorrem também, diferenças com a cama de frango (Tabela 1).

Tomando-se como exemplo a percentagem de nitrogênio das camas com uma e quatro criadas, pode-se dizer que houve aumento de 42%, enquanto que na relação (nitrogênio/matéria orgânica) para as respectivas camas de frango, o valor chegou a 50%. Pode-se inferir que em tese o produtor rural poderia utilizar menor quantidade de adubo se optasse pela cama com maior número de criadas, para este nutriente. Todavia, a consideração de valores tabulados poderia também, inferir a erros.

Em tese, com o uso da cama de frango, o produtor poderá minimizar ou zerar seus custos com adubação, dependendo da cultura utilizada. De acordo com Lima et al. (2007) avaliando a influência da adubação orgânica nas propriedades químicas de um Latossolo Vermelho Distrófico, concluíram que a adubação orgânica com cama de frango pode ser considerada uma importante fonte de nutrientes.

Como já ressaltado anteriormente, quanto mais perto do sistema produtor da cama de frango, menores serão os custos com transporte e, quanto maior o número de criadas, consequentemente, poderá ser maior a concentração de nutrientes por unidade de peso, viabilizando os custos com transportes, pois menor será a quantidade de cama a ser colocada na área de cultivo para atender as recomendações.

É importante que seja ressaltada a necessidade de mais estudos com maiores variações de amostras, regiões e tipos de cama, para uma melhor interpretação e maior confiabilidade dos dados. Porém, atentar-se com a composição química do adubo orgânico utilizado é de fundamental importância para a viabilidade do processo. Ser eficiente não está somente em produzir maiores quantidades e sim, pelo fato de se ter a maior produtividade a um menor custo possível, com a menor produção de resíduo.

Referências bibliográficas

BENEDETTI, M.P.; FUGIWARA, A.T.; FACTORI, M.A.; COSTA, C.; MEIRELLES, P.R.L. Adubação com cama de frango em pastagem. Águas de Lindóia. Anais… Águas de Lindóia. ZOOTEC. 2009. CD Rom.

EMBRAPA MILHO E SORGO. Sistemas de Produção, 2 ISSN 1679-012X Versão Eletrônica – 4ª edição, Set./2008.

KIEHL, J.C. Adubação orgânica de culturas forrageiras. In. SIMPÓSIO SOBRE ECOSSISTEMAS DE PASTAGENS, 3., 1997, Jaboticabal. Anais… Jaboticabal: FCAV/Unesp, 1997. p. 208250.

LIMA, J.J.; MATA, J.V.D.; PINHEIRO NETO, R. ; SCAPIM, C.A. Influência da adubação orgânica nas propriedades químicas de um Latossolo Vermelho distrófico e na produção de matéria seca de Brachiaria brizantha cv. Marandu Acta Sci. Agron. Maringá, v. 29, supl., p. 715719, 2007.

5 opiniões sobre “Utilização da cama de frango como adubo orgânico de pastagens”

  • Martinho Mello de Oliveira - 13/08/2009

    Parabéns pela excelente matéria, alinhando produção com baixo custo. Outrossim, gostaria de saber mais sobre o esterco bovino, que é também um ótimo adubo orgânico, sem falar que este está muito próximo, no curral e ao redor dos cochos de ração, cujo benefício tenho usado no canavial, com excelentes resultados.

  • Ronaldo Mendonça dos Santos - 13/08/2009

    Será que a utilização de cama de frango é viável para pecuaristas que vão adquirir das granjas? Na região de Brasíla, o preço desse material está bastante caro. Ela é comercializada no metro quadrado.

    Att.,
    Ronaldo Mendonça dos Santos.

  • Gilberto Theodoro dos Santos - 14/08/2009

    Boa tarde,

    Como ainda não fiz esse tipo de adubação em pastagens com cama-de-frango, gostaria de saber a quantidade por hectare que devo utilizar. Agradeço a gentileza e aguardo uma resposta.

    Atenciosamente,

    Gilberto Th. Santos

    Brasília-DF

  • Alcindo Lorenzi - 27/03/2010

    Recentemente ouvi uma reportagem proibindo o uso de cama de frango na aduabação de bastagens. Se alguem tiver alguma informação segura, pode informar…

  • Laert Rabelo Brandão - 05/04/2010

    Em alguns lugares a cama de frango é misturada ao pó de serra. Ao introduzirmos essa cama de frango no solo como adubo, não podemos estar também contribuindo para acidez do solo, já que o pó de serra pode aumentar essa acidez?

Os comentários estão encerrados.


ou utilize o Facebook para comentar