USDA: Confira relatório sobre o mercado de carnes

As exportações de carne bovina foram estimadas em 10,6 milhões de toneladas, uma vez que os embarques do Brasil, Argentina e Estados Unidos compensarão as quedas da Austrália e da Índia. A crescente demanda global de carne bovina proporcionará oportunidades para os principais exportadores aumentarem sua participação de mercado nos principais mercados.

Previsões de exportações

A produção global de carne bovina deverá crescer um pouco (1 por cento) em 2019, para 63,6 milhões de toneladas, principalmente pelos ganhos no Brasil, nos Estados Unidos e na Argentina. A expansão do Brasil é impulsionada pela demanda interna estável e pelo sólido crescimento das exportações para os principais mercados asiáticos.

O crescimento da Argentina é impulsionado pelo aumento do peso em resposta à maior demanda de exportação por animais mais pesados. As persistentes condições climáticas quentes e secas da Austrália levaram à deterioração das condições das pastagens, aos altos preços dos grãos e ao baixo suprimento de água, forçando mais gado em confinamento.

Com o menor número esperado de bovinos no início de 2019, a previsão da produção de carne bovina foi reduzida. À medida em que a reconstrução do rebanho ocorre em 2019, menos animais podem estar disponíveis para abate.

As exportações globais em 2019 estão previstas em 10,6 milhões de toneladas, uma vez que os embarques do Brasil, da Argentina e dos Estados Unidos compensarão as quedas da Austrália e da Índia. Os esforços de reconstrução de rebanhos da Austrália se tornarão sua prioridade em 2019, potencialmente fornecendo oportunidades para os principais exportadores aumentarem sua participação de mercado na crescente demanda global de carne bovina.

A demanda de carne bovina da China e de Hong Kong continuará forte, à medida que a produção doméstica estagnada e as incertezas da doença em proteínas de carne competidoras impulsionam o consumo.

Produção e exportação nos EUA: A previsão da produção foi de alta de 4 por cento em 2019, para um recorde de 12,7 milhões de toneladas, refletindo os recentes aumentos nas safras de bezerros. As previsões de exportações são de alta de 3 por cento, para um recorde de 1,5 milhão de toneladas, quase 12 por cento da produção. As amplas ofertas, preços competitivos e a produção em declínio da Austrália estimularão as exportações dos EUA para mercados importantes, como Japão, Coreia do Sul, México e Canadá.

Produção de Carne bovina e de vitelo – Sumário dos Países Selecionados – 1.000 Toneladas (Peso Equivalente Carcaça)

Notas: Inclui carne de outros bovinos para determinados países. A Índia inclui carabeef (búfalo). A partir de 2015, estão excluídos os seguintes países: Albânia, Azerbaijão, Costa do Marfim, Geórgia, Gana, Jamaica, Senegal e Uzbequistão.

Comércio de Carne bovina e de vitelo – Sumário dos Países Selecionados – 1.000 Toneladas (Peso Equivalente Carcaça)

Notas: Inclui carne de outros bovinos para determinados países. A Índia inclui carabeef (búfalo). A partir de 2015, estão excluídos os seguintes países: Albânia, Azerbaijão, Costa do Marfim, Geórgia, Gana, Jamaica, Senegal e Uzbequistão.

Rebanho bovino – Sumário dos Países Selecionados – 1.000 cabeças

Notas: Pode conter outros bovinos. De 2015, Colômbia
transmite o mês em que a previsão para esse ano foi divulgada.

Comércio de gado – Sumário dos Países Selecionados – 1.000 cabeças

Notas: Pode conter outros bovinos. De 2015, Colômbia
transmite o mês em que a previsão para esse ano foi divulgada.

Fonte USDA, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar