Uruguai “cruza os dedos” para que a UE não assine um memorando de cota 481 este ano

A redução da cota 481 para países terceiros está aguardando o Parlamento da União Europeia aprovar o memorando de entendimento que já foi confirmado há muito tempo pelo Poder Executivo dos Estados Unidos.

O presidente da Câmara da Indústria Frigorífica (CIF) do Uruguai, Daniel Belerati, disse que o memorando afirma que, uma vez que ambos os países o aprovarem, as mudanças entrarão em vigor na primeira das datas definidas.

Nesse sentido, Belerati comentou que “estamos cruzando os dedos” para que a União Europeia não aprove o memorando entre 7 de novembro e 31 de dezembro para que o Uruguai possa fazer uso da cota – sem redução – nos primeiros três meses do 2020

A cota 481 é uma cota de carne bovina de alta qualidade de 45.000 toneladas, peso anual do produto, distribuído em 11.250 toneladas por trimestre e com isenção de impostos para a União Europeia; criado para os Estados Unidos, mas também integrado pela Argentina, Austrália, Canadá, Nova Zelândia e Uruguai.

No entanto, por decisões políticas e negociações internacionais, o país de Trump acede, uma vez assinado o memorando, a um volume preferencial. Com a vantagem para os Estados Unidos, a cota trimestral para o restante dos países passará de 11.250 para 6.625 toneladas em 2020 e 2.500 toneladas em 2026.

Fonte: El Pais Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar