Categories: Espaço Aberto

Urge um papo reto – Por André Bartocci

Urge um papo reto.

Sobre Comunicação e a nossa necessidade de ser compreendido pela sociedade, que aparentemente não reconhece os esforços implementados até aqui pelo setor, existe uma antiga frase:

O ESTÔMAGO NÃO TEM OUVIDOS

Em uma época de informações por segundo e grande polarização, é preciso falar aquilo que se “consegue” ouvir.
Não adianta, pelo menos no momento, o blá-blá-blá complexo e as bravatas do tipo:
-Somos os maiores preservadores!

  • A área preservada é maior que…
  • A NASA afirmou…
  • O Produtor do Brasil é o mais sustentável!
    -Somos credores de GEE!
  • As ONGs são financiadas pelos…
  • A EMBRAPA mapeou as áreas…
  • O Japão, a França, a China… O escambau!

Nada disto será assimilado.
Tão pouco adianta pirotecnias de marketing e milionários Agros Pop!

Por que a comunicações do Greenpeace e do WWF colam? Por que, mesmo declarações esdrúxulas, são aceitas pela sociedade?
Porque são simples.
Porque são diretas.
Não exigem grandes reflexões.
Elas mostram desmatamentos, mortes em, ameaças e se posicionam contra.
Não falam em legislativo, IBAMA, códigos, custos e nem de soluções.

Somente comunicados diretos vão sensibilizar a sociedade:

*SOMOS CONTRA O DESMATAMENTO (Ilegal).
*DESMATAMENTO (ilegal) ZERO.
*QUEM DESMATOU ILEGALMENTE DEVE SER PUNIDO.

Este tipo de comunicação que, apesar da maioria dos Produtores racionais concordarem e defenderem, é inédito.
O consumidor não sabe que a esmagadora maioria dos Produtores Brasileiros do século XXI nunca desmatou.
Grande parte dos consumidores pensa que os bons resultados na produção dependem de desmatamento!
Para a sociedade urbana, o Produtor e seus representantes serem contra o desmatamento é irracional (ou é uma mentira!).
É preciso mudar esta imagem.
O que está em jogo são as conquistas do Código Florestal e a segurança jurídica.

Por que é difícil para Produtores dizer claramente que são contra ilegalidades ambientais?
Por que sempre a Produção precisa explicar, se desculpar e defender atitudes de criminosos ambientais?
Não há Bônus por defender o DESMATAMENTO, porém a Produção sofre todo o Ônus de ser, com sua omissão, apoiadora!

Sou a favor de que todas as entidades da Agropecuária adotem uma comunicação direta e simples.
Devemos mostrar aquilo que a Produção e 99,9% da sociedade concordam.
Um papo reto baseada nesta frase:

Desmatamento ILEGAL zero.
A frase e a ideia são claras.
Qualquer coisa fora disto deve ser tema no Congresso ou conversa na delegacia.

Por André Bartocci.

This post was published on 5 de agosto de 2020

Share

Recent Posts

Preço do Novilho do Mercosul segue perdendo força

O Novilho Mercosul voltou a cair nesta semana. O índice apurado pela Faxcarne apontou queda… Read More

25 de setembro de 2020

Equipamentos 3D são capazes de imprimir de um tudo — agora, até carnes

Em 1984, um estudante de engenharia perguntou ao americano Chuck Hull, inventor da impressora 3D,… Read More

25 de setembro de 2020

Certificação da Carne Hereford colhe resultados positivos em Santa Catarina

Assinado no final de 2019, o contrato entre a Associação Brasileira de Hereford e Braford… Read More

25 de setembro de 2020

BNDES volta a pedir ação por danos à JBS

Amparada por decisão favorável em tribunal arbitral, a BNDESPar, braço de participações acionárias do Banco… Read More

25 de setembro de 2020

Primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa já imunizou 166 milhões de animais

Os dados parciais da primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2020 mostraram… Read More

25 de setembro de 2020

Pecuária orgânica é oportunidade pós-pandemia

Atividade ainda incipiente no País, a pecuária orgânica é viável e representa uma oportunidade de… Read More

25 de setembro de 2020