Categories: Giro do Boi

UNICEF: Cinco em cada seis crianças pequenas não estão obtendo nutrição suficiente para o crescimento e o desenvolvimento do cérebro

Cinco em cada seis crianças menores de dois anos de idade não estão recebendo alimentos nutritivos o suficiente para sua idade, o que está deixando essas crianças com carência de energia e nutrientes que precisam no momento mais crítico para seu desenvolvimento físico e cognitivo, de acordo com um novo relatório da UNICEF.

Somente metade das crianças com idade de seis a 11 meses recebem qualquer alimento de origem animal, que são essenciais para fornecer zinco e ferro. “Bebês e crianças pequenas têm as maiores necessidades de nutrientes do que em qualquer outra fase da vida, mas o corpo e o cérebro de milhões de crianças não estão alcançando seu potencial total, porque elas estão recebendo muito pouco alimento, muito tarde”, disse o conselheiro sênior de nutrição da UNICEF, France Begin. “A nutrição inadequada nessa idade tão precoce causa danos mentais e físicos irreversíveis”.

Dados da UNICEF mostram que práticas inadequadas de nutrição – incluindo a introdução tardia de alimentos sólidos, refeições não frequentes e falta de variedade de alimentos – são amplamente disseminadas, privando as crianças de nutrientes essenciais quando seus cérebros, ossos e corpos em crescimento mais precisam. As descobertas revelam que:

Menos de um terço das crianças nessa faixa etária comem uma dieta diversificada – significando de quatro ou mais grupos alimentícios diariamente – levando a deficiências de vitaminas e minerais.

O alto custo dos alimentos de origem animal dificulta para as famílias mais pobres melhorarem a dieta de seus filhos. na África Subsaariana e no Sul da Ásia, somente uma em cada seis crianças das famílias mais pobres com idade de seis a 11 meses consomem uma dieta minimamente diversificada, comparado com um em cada três das famílias mais ricas. Quase metade das crianças com idade pré-escolar sofrem de anemia.

As crianças pequenas esperam muito tempo para dar sua primeira mordida. Um em cada cinco bebês não come nenhum alimento sólido até os 11 meses de idade. Metade das crianças com seis meses a dois anos não são alimentadas com o número mínimo de refeições para sua idade, o que aumenta seu risco de nanismo.

Ajuda financeira para famílias vulneráveis, programas de diversificação agrícola e fortificação de alimentos são essenciais para melhorar a nutrição das crianças pequenas, de acordo com a UNICEF.

Fonte: MeatingPlace.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 25 de outubro de 2016

Share

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021