Categories: Giro do Boi

UE atribui fundos pela primeira vez para projeto de carne cultivada

A UE alocou mais de 2,7 milhões de euros para o programa de pesquisa do consórcio ‘Meat4All’, liderado pela espanhola rm BioTech Foods e seu conceito Ethicameat B2B.

O subsídio – que se acredita ser a primeira vez que um projeto de carne cultivada em laboratório recebe fundos de Bruxelas – faz parte do Programa-Quadro de Pesquisa e Inovação da UE Horizonte 2020, que é uma parte fundamental do Acordo Verde da UE que planeja a região ser neutro para o clima em 2050.

O projeto Meat4All, do qual também participa a empresa francesa Organotechnie, visa incrementar a tecnologia de produção de carnes de cultura, trabalhar na aceitação do mercado e realizar testes para avaliar a segurança para viabilizar sua industrialização e comercialização até julho de 2022.

A BioTech, sediada em San Sebastian, tem trabalhado no desenvolvimento de sua carne cultivada, que fornece a clientes do setor alimentício, conhecida como ‘Ethicameat’ desde 2017. Ela disse que o investimento da UE confirma a importância atribuída pela Europa à carne cultivada e novos alimentos.

O foco da Horizon Europe está na implementação do Acordo Verde Europeu. A UE calcula que mais de 35% das despesas da Horizo Europe contribuirão para os objetivos climáticos, uma vez que a investigação e a inovação são essenciais para transformar a Europa no primeiro continente do mundo neutro em termos de clima até 2050.

“É extremamente gratificante para toda a equipe da BioTech Foods e para nossos parceiros na Organotechnie, obter este apoio da União Europeia para o nosso projeto ‘Meat4All’ ”, afirmou Iñigo Charola, CEO da BioTech Foods. “Esta é a primeira vez que a Europa se compromete efetivamente com a carne cultivada. A carne cultivada será um ingrediente fundamental da nossa alimentação futura e agora temos isso também confirmado pelas instituições ”, acrescentou.

Mas será que a carne cultivada é realmente a solução mais saudável para o planeta? Outros estudos sugeriram que a carne cultivada em laboratório poderia realmente ser pior para a mudança climática devido ao CO2 liberado pelos laboratórios. O CO2 permanece na atmosfera por mais de um século; metano apenas uma dúzia.

Charola disse que o consórcio planejava realizar uma avaliação completa do ciclo de vida dos requisitos de energia necessários para aumentar a produção de carne cultivada.

Ele acrescentou: “É uma realidade que a indústria de processamento de carnes está interessada em diferentes fontes alternativas de proteína. Todos os relatórios mostram que há uma atitude favorável do consumidor em relação a alternativas sustentáveis ​​de proteína e, particularmente, em relação à carne cultivada. O que é importante agora é entregar produtos que as pessoas queiram comer.”

Charola disse que o consórcio planeja trabalhar com células de aves, suínos e bovinos e vai explorar quais produtos alimentícios são mais adequados para a carne cultivada.

Fonte: FoodNavigator.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 16 de outubro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint
Tags: UE

Recent Posts

Importações chinesas de carnes cresceram 63% em setembro

As importações chinesas de carnes e miúdos totalizaram 830 mil toneladas em setembro, volume 63%… Read More

26 de outubro de 2020

Joint venture de Marfrig e ADM na área de proteínas vegetais começa formalmente a operar

A brasileira Marfrig, segunda principal empresa de carne bovina do mundo, e a americana ADM,… Read More

26 de outubro de 2020

Cooperativa Castrolanda investe R$ 770 mil e amplia fábrica de ração

Após investir R$ 770 mil em uma nova linha de equipamentos na fábrica de Piraí… Read More

26 de outubro de 2020

Problemas logísticos reduzem embarque de proteínas

Os países árabes, que em conjunto são o segundo principal parceiro comercial agrícola brasileiro, apresentam… Read More

26 de outubro de 2020

Selo halal abre novas frentes de negócios para diversos setores

“A faca utilizada deve ser bem afiada, para permitir uma sangria única que minimize o… Read More

26 de outubro de 2020

BRF e Marfrig têm plantas reabilitadas para exportar à China

BRF e Marfrig tiveram hoje plantas reabilitadas para exportar à China. As autorizações vieram após… Read More

26 de outubro de 2020