Categories: Giro do Boi

Turquia interessada em carne e gado no Paraguai

Nas últimas horas, o embaixador do Paraguai na Turquia informou que o país da Eurásia está “muito interessado” na compra de carne bovina paraguaia e, em pouco tempo, “enviará uma missão sanitária para inspecionar as instalações frigoríficas”.

Um representante da indústria frigorífica consultado sobre oportunidades de exportação para a Turquia, preferiu não comentar o mercado, já que o Paraguai nunca exportou carne natural para o país, mas “eu sei que eles normalmente são importadores de animais vivos”.

De qualquer forma, ele disse que “na Turquia eles têm muitas bocas para alimentar, talvez possa ser uma demanda interessante por carne” e disse: “Sabemos que os cortes a serem exportados precisam ser certificados pela Halal, e isso não é um drama para nós”.

O país turco tem mais de 80 milhões de habitantes e, segundo Faxcarne, eles têm um consumo anual de carne bovina de 1,5 milhão de toneladas e uma produção de 1,4 milhão, portanto, o saldo de importação seria aproximadamente 100.000 toneladas.

Entre os fornecedores, destaca-se a Europa e também a presença do Brasil no último ano e meio. Para entrar na Turquia com carne, deve-se pagar uma tarifa alta que excede três dígitos; no entanto, o país realiza periodicamente propostas para comprar proteína vermelha isenta de impostos, ou com uma porcentagem menor, para equilibrar o mercado e o consumo doméstico.

Por outro lado, a Turquia é uma forte compradora de animais vivos, a ponto de ser o segundo maior importador do mundo, depois dos Estados Unidos. Da América do Sul, Brasil e Uruguai estão posicionados como grandes fornecedores.

Projeções do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicam que as compras turcas de gado em pé aumentarão 5% durante 2020, com um total de 1,05 milhão de bovinos.

A exportação de gado vivo tem sido uma ferramenta comercial que muitos produtores paraguaios entendem importante para defender o preço do gado no país. Da Associação Paraguaia de Produtores e Exportadores de Carne (Appec), eles veem a Turquia com bons olhos para enviar sua produção jovem.

O sindicato realizou reuniões com empresas turcas dedicadas à comercialização de gado vivo. No momento, resta uma missão técnica da Turquia visitar o Paraguai e possibilitar a exportação, que talvez possa ser a mesma que chegaria ao país para auditar geladeiras e depois começar a negociar.

A Appec visitará o Presidente da Senacsa para discutir a exportação de gado vivo do Paraguai, e não apenas para a Turquia, mas também para acelerar o processo de chegada ao Brasil, que hoje eles consideram atrasado por “questões políticas”.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 3 de fevereiro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021