Categories: Pastagens

Tolerância de cultivares de Brachiaria brizantha ao alagamento

A escolha correta do capim é essencial para garantir a perenidade e a sustentabilidade do pasto. As espécies forrageiras e seus cultivares apresentam níveis distintos de tolerância aos fatores bióticos e abióticos de estresse. A caracterização da resposta do capim aos fatores de estresse e o levantamento das características edafoclimáticas da propriedade auxilia técnicos e produtores a escolher de forma correta a espécie forrageira para a formação do pasto.

Caetano & Dias-Filho (2008) desenvolveram um experimento para avaliar o efeito do alagamento sobre o desenvolvimento de diferentes tipos de Brachiaria brizantha (os cultivares comerciais capim-marandu, capim-piatã e capim-arapoty e os acessos B163 e B166) e de um tipo de Brachiaria ruziziensis (acesso R124). O experimento foi desenvolvido em casa-de-vegetação na Embrapa Amazônia Oriental. Os vasos foram inundados 20 dias após o plantio de forma a manter uma lâmina d’água de 3 cm acima do nível do solo. Foram avaliados a taxa de alongamento foliar; a biomassa de folhas, raízes e colmos e suas relações; o número de perfilhos; a taxa fotossintética líquida, a condutância estomática e a taxa de transpiração. O desenvolvimento das plantas sob condições de alagamento foi comparado àquele de plantas cultivadas em vasos bem drenados e irrigados de acordo com a necessidade de água.

A taxa de alongamento foliar de todos os acessos foi reduzida pelo alagamento (Caetano & Dias-Filho, 2008). Os autores observaram que o alagamento reduziu a produção de biomassa de folhas em todos os acessos, com exceção do capim-piatã; já a produção de biomassa de raízes foi menor apenas no capim-marandu e na B. ruziziensis R124 quando sob condições alagadas (Figuras 1 e 2).

Figura 1. Biomassa de folhas de (A) capim-piatã, (B) capim-arapoty, (C) Brachiaria brizantha B163, (D) Brachiaria brizantha B166, (E) capim-marandu, (F) Brachiaria ruziziensis R124 em condições com e sem alagamento. Asterisco acima da coluna indica diferenças estatística entre as condições com e sem alagamento para determinado acesso


Figura 2. Biomassa de raízes de (A) capim-piatã, (B) capim-arapoty, (C) Brachiaria brizantha B163, (D) Brachiaria brizantha B166, (E) capim-marandu, (F) Brachiaria ruziziensis R124 em condições com e sem alagamento. Asterisco acima da coluna indica diferenças estatística entre as condições com e sem alagamento para determinado acesso


Caetano e Dias-Filho (2008) concluíram que o capim-arapoty é o mais tolerante ao alagamento, seguido pelo capim-piatã e pelos acessos B163 e B166 de Brachiaria brizantha. A Brachiaria ruziziensis R124 e o capim-marandu foram os mais afetados pelo alagamento.

Comentários:

Conhecer a resposta das plantas aos fatores abióticos de estresse é fundamental no momento da escolha do capim. O trabalho de Caetano & Dias-Filho (2008) mostra que o capim-arapoty e o capim-piatã são mais tolerantes ao alagamento que o capim-marandu.

A síndrome da morte do capim-marandu, que vem assustando técnicos e produtores nas regiões Norte e Centro-Oeste do país, é atribuída por muitos à má drenagem e, consequentemente, alagamento do solo. De acordo com os resultados apresentados por Caetano e Dias-Filho (2008), o capim-arapoty e o capim-piatã são mais indicados para o plantio nestas áreas que o capim-marandu. Apesar dos dados apresentados nas Figuras 1 e 2 mostrarem uma maior produção de biomassa do capim-marandu que dos demais capins nas condições de alagamento, é importante observar a queda que ocorre no seu desenvolvimento quando em condições alagadas (comparar o capim-marandu nos dois gráficos de cada figura).

A grande redução na produção de biomassa do capim-marandu em condições alagadas indica que ele não tolera este tipo de estresse, o que certamente reduz suas chances de sobrevivência em ambientes sujeitos a períodos de alagamento, mesmo que temporários.

This post was published on 15 de agosto de 2008

Share

View Comments

  • Oi Patricia, gostaria também de saber informações técnicas da semente do capim Arapoti, sua semente apresenta uma dormência elevada??? Estou localizado em Campo Grande/MS, no laboratório nunca recebi semente de tal espécie para análisar e na região só ouço ser recomendado para solos enxarcado(Brachiaria Humidicola cv. LLanero) e alagados(Brachiaria Humidicola cv. Humidicola) onde essas cultivares tem os preços de compra muito altos.

    Abraços,
    Cláudio Olegário
    Laboratório Seminal Análise de Sementes

    Resposta da autora:

    Prezado Cláudio,
    Não tenho experiência com este cultivar. Sugiro que você entre em
    contato com a Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande, responsável pelo
    seu desenvolvimento.
    Att
    Patricia Santos
    Embrapa Pecuária Sudeste

  • Respeitados autores, com toda modestia necessito q me saquen de esta duvida, pois eu leio uma coisa é veo outra, por exemplo, como indican o Capim Piatã como mas recomendado a alagamento sim a velha Marundu (aunque varia con ela mesma de alagado para não alagado) continua sendo a melhor de todas. Qual é a vantagem q Piatã seja melhor q ele mesmo..si tenho outros materiais muito superiores como mostra o grafico. Se eu estiver errado pido disculpas é q por favor me esclaresam. Muito Obrigado e parabens pelo trabalho.
    Pdt: Deixando claro q todo mundo sabe q o Marandu não é recomendado para solos alagados.

Recent Posts

Rafael Tardáguila: Oferta de carne deve se adequar à menor demanda

A demanda por carne bovina cairá devido à recessão global, mas a oferta está se… Read More

29 de maio de 2020

Covid-19 infectou mais de 3 mil funcionários de frigoríficos nos EUA, diz sindicato

Mais de 3 mil funcionários de frigoríficos dos Estados Unidos testaram positivo para Covid-19 e… Read More

29 de maio de 2020

Carne bovina: mercado interno continua incerto e exportações seguem firmes

Com a baixa de oferta de animais, algumas indústrias estão oferecendo mais pela arroba do… Read More

29 de maio de 2020

Produção de carne bovina deve cair, diz Rabobank

O mais novo relatório do Rabobank indicou que a produção de carne bovina brasileira deve… Read More

29 de maio de 2020

Boi gordo: China pede renegociação à exportadoras de carne

A retração da procura pelas principais proteínas animais no mercado atacadista de São Paulo foi… Read More

29 de maio de 2020

JBS vai pedir aval do governo de SC para sacrificar 650 mil frangos

A JBS vai protocolar na Secretaria de Agricultura e no órgão ambiental de Santa Catarina… Read More

29 de maio de 2020