Categories: Giro do Boi

‘Temos que arrumar recursos’, diz ministra

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou ontem que “precisa arrumar mais recursos” para o financiamento do setor produtivo, mas não indicou se conseguirá um aporte extra de verba para o crédito rural oficial junto à equipe de Paulo Guedes. O pedido é para resolver o que chamou de “bom problema”, causado pelo desembolso acelerado de crédito do Plano Safra 2020/21 e o esgotamento precoce de diversas linhas de investimentos.

Ela disse que a elevada rentabilidade da temporada pode fortalecer a aplicação de recursos próprios no campo. Já a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) reforçou a reivindicação de maior previsibilidade, com um plano de mais longo prazo.

“O Plano Safra foi um sucesso, tanto que as linhas praticamente já foram quase todas tomadas. É um bom problema. Precisamos arrumar mais recursos para que os produtores trabalhem e possam investir cada vez mais no seus negócios” disse Tereza Cristina durante um evento online com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb).

Nesta semana, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltou a suspender os pedidos de financiamentos do Moderfrota, principal linha para aquisição de máquinas e implementos agrícolas, por conta do nível de comprometimento dos recursos. O Ministério da Agricultura disse que não vislumbra a possibilidade de remanejamentos de valores nos programa, pois o fluxo está forte em todas as categorias.

Diante desse cenário, a ministra conta com o bom momento do agronegócio para viabilizar novos investimentos. “Os preços estão bons, tomara que o produtor ganhe muito dinheiro. Nem sempre o lucro fica com o produtor, mas se ficar é bom porque ele investe recursos próprios no negócio e traz mais robustez ao agronegócio” destacou ela.

O presidente da CNA, João Martins, voltou a mencionar a proposta de criação de um Plano Safra Plurianual como solução para a previsibilidade de políticas públicas e recursos para financiamento do setor. “Estamos trabalhando em um projeto plurianual de safra, a ministra já tem conhecimento. Assim o produtor vai saber o que vai acontecer no ano seguinte e o governo poderá ter a expectativa do produtor também. Que seja um indicador de políticas públicas e de recursos”, afirmou no mesmo evento.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 27 de novembro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Marfrig deve iniciar a construção de seu frigorífico no Paraguai antes de julho

A Marfrig Global Foods está avaliando o início da construção de sua planta de frigorífica… Read More

18 de janeiro de 2021

Vendedores de carne bovina conseguem emplacar alta no atacado

Após as tentativas de emplacar novas altas nos produtos no atacado, a ponta vendedora finalmente… Read More

18 de janeiro de 2021

Consumo doméstico tímido e demanda externa aquecida definem preços da carne

Na primeira quinzena de janeiro, o preço da arroba registrou alta de 48% e a da… Read More

18 de janeiro de 2021

Governo de São Paulo revoga aumento de ICMS no agronegócio

O governo de São Paulo publicou hoje no Diário Oficial do Estado três decretos que… Read More

18 de janeiro de 2021

FGV prevê alta da produção agroindustrial em 2021

Embora tenha voltado a subir em novembro, o resultado final do Índice de Produção Agroindustrial… Read More

18 de janeiro de 2021

Imposto com alíquota cheia sobre insumos faz surgir impasse em Goiás

Apesar de o Convênio 100/1997 - que autoriza a isenção nas operações internas e reduz… Read More

18 de janeiro de 2021