Categories: Novidades

Tecnologia da análise de DNA começa beneficiar rebanhos comerciais

O uso da tecnologia de análise do DNA bovino já há algum tempo vem sendo usado com sucesso por veterinários e geneticistas em bovinos para verificação individual de paternidade com fins de registro genealógico.

A novidade que começa a ser usada e que promete ser a nova revolução no campo do melhoramento animal incrementando a produtividade em fazendas de produção comercial é o teste feito pela técnica de SNP (Polimorfismos Nucleotídicos Simples). Qual a grande inovação? “É que no método utilizado até então faz-se a análise do DNA para verificação individual de paternidade, enquanto que no método de SNP, além do uso convencional, o reconhecimento pode ser feito em grandes rebanhos de Reprodutores Múltiplos (RM)”, explica Guilherme Gallerani, gerente IGENITY, Unidade de Serviços Genéticos da Merial Saúde Animal.

Gallerani destaca algumas das vantagens que a análise múltipla pode trazer para propriedades rurais que têm rebanhos numerosos, onde a monta ocorre em grandes lotes de fêmeas utilizando-se vários touros. A primeira delas é a identificação da paternidade dos bezerros nascidos durante a safra, com isso é possível medir exatamente qual a produtividade dos touros usados na cobertura, tanto em número de filhos quanto em qualidade da progênie. “Nem sempre o touro com maior número de filhos nascidos é o que apresenta progênie com os melhores índices produtivos para características economicamente importantes. A identificação de animais capazes de transmitir boas características de desempenho, identificadas na progênie, é um atributo indispensável para seleção da bateria de touros”, diz.

O uso desta nova tecnologia de verificação de paternidade também pode beneficiar os programas de melhoramento genético que passam a contar com uma base de dados maior do rebanho de campo com possibilidade de obter informações de paternidade de todos os animais nascidos na safra. Atualmente a quantidade de bezerros fruto de rebanhos RM nestes programas gira em torno de 40% . A ferramenta permite também a identificação de novos touros que seriam mantidos em rebanhos como reprodutores múltiplos e, consequentemente, teriam seus potenciais genéticos subutilizados.

Na Agro-Pecuária CFM, de São José do Rio Preto (SP), a avaliação por reprodutores múltiplos já é uma realidade no programa de seleção para formação de touros Nelore e Montana. Segundo Luis Adriano Teixeira, coordenador de pecuária da CFM, a análise do DNA ocorre com a finalidade de melhorar a eficiência da avaliação genética dos animais e oferecer ao mercado DEPs mais precisas, “Assim aprimoramos ainda mais o conhecimento sobre nossa genética”, finaliza o especialista.

Share

Recent Posts

O AgroTalento me ajudou a realizar meus sonhos e objetivos pessoais e profissionais

Luciano Guimarães Simão nasceu em Uberlândia e é de uma família de produtores rurais. Seu tataravô já era pecuarista. Ele… Read More

21 de fevereiro de 2020

Abertura de capital nos EUA no radar da Marfrig

Com mais de 60% do faturamento no mercado americano, a Marfrig Global Foods vislumbra abrir o capital do grupo em… Read More

21 de fevereiro de 2020

Fazenda Figueira completa 20 anos como estação experimental

A Estação Experimental Agrozootécnica Hildegard Georgina Von Pritzelwitz, também conhecida como Fazenda Figueira, completou 20 anos de sua implantação nesta… Read More

21 de fevereiro de 2020

RS pedirá para deixar de vacinar, mas aval depende de melhorias

O Estado pedirá ao Ministério da Agricultura a retirada da vacina contra a febre aftosa. Mas a decisão será reavaliada… Read More

21 de fevereiro de 2020

Técnicos agrícolas podem ser prestadores de assistência técnica e extensão rural

A Lei nº 13.639, de 26/3/2018, criou o Conselho Federal dos Técnicos Industriais, o Conselho Federal dos Técnicos Agrícolas, os… Read More

21 de fevereiro de 2020