Comissão volta a debater projeto que substitui fiscalização agropecuária por programas de autocontrole
14 de julho de 2021
Carrefour amplia rastreabilidade de alimentos in natura com uso de blockchain
14 de julho de 2021

Startup de “carne vegetal” recebe aporte recorde e mira expansões

Encarada como uma tendência do futuro, o mercado de “carne vegetal” segue em alta. Não à toa, a Tindle, responsável por um produto que parece frango, tem gosto de frango, mas é feito a base de plantas, acaba de anunciar um novo aporte histórico de US$ 20 milhões, o que elevou o valor de sua captação seed para US$ 30 milhões.

Anunciada na última terça-feira (13), a extensão do aporte seed da marca da startup de alimentos NextGen incluiu investidores como GGV Capital, Yeo Hiap Seng, Bits x Bites, entre outros. Com o financiamento, eles se juntam a Temasek e K3 Ventures, responsáveis pelo investimento anterior de US$ 10 milhões em fevereiro deste ano.

Aliás, segundo dados da consultoria americana especializada em startups Pitchbook, o primeiro investimento seed da Tindle já era considerado o maior de todos os tempos nesse modelo de financiamento para o segmento. Ao totalizar um montante três vezes maior que o investimento inicial, a startup dá um grande passo para liderar o setor nos Estados Unidos.

Rumo à liderança
Basicamente, a “carne vegetal” da Tindle tem alto teor de proteínas e fibras, com baixos valores de carboidratos em sua composição. Toda essa combinação resulta em um produto semelhante ao frango “de verdade”, mas sem o uso de modificações genéticas durante o processo para alcançar o resultado.

Com o aporte, a Next Gen deverá usar os recursos para estabelecer a marca Tindle pelos Estados Unidos. E não é pra menos: com faturamento anual de US$ 7 bilhões no ano passado, o mercado americano consolidou-se como o maior segmento de carne vegetal do mundo.

A ideia, inclusive, é que o financiamento faça a Tindle entrar na briga pelo mercado de carne vegetal, rivalizando com gigantes como Impossible Foods e Beyond Meat. “Já estamos estabelecendo nossas bases no país para estar no mercado nos próximos 12 meses, à medida que aceleramos nossa meta de nos tornar o líder mundial da categoria de frango a base de plantas”, reforçou Andre Menezes, cofundador e COO da empresa.

“A excelente resposta dos investidores, tanto novos quanto existentes, mostra a confiança em nossa tecnologia inovadora, modelo de negócios altamente escalável, experiências de sabor diferenciadas e a capacidade de nossa equipe de tornar a Tindle um líder de mercado nos Estados Unidos”, completou o executivo.

Expansão global
Mas, bem, o mercado americano não é o único interesse da Tindle. A startup de carne vegetal também mira expansões para Ásia e Oriente Médio. Até porque o produto da companhia já é vendido em Cingapura, Hong Kong e Macau, e pode ser encontrado em 70 restaurantes.

“Após o lançamento da Tindle, em março de 2021, expandimos para três mercados e esperamos estar em mais de cinco até o final de 2021 — marca que algumas empresas líderes não ultrapassam mesmo após anos de existência”, completou Menezes.

E ao que parece, o cenário deverá mostrar-se favorável para essa expansão. Isso porque, de acordo com o banco suíço UBS, o mercado global de proteínas vegetais deve crescer nos próximos anos, com a possibilidade de atingir um faturamento de US$ 85 bilhões até 2030.

Fonte: Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *