Seis passos simples para a sucessão em empresas familiares

Se você trabalha em um negócio de família, é provável que você encontre as mesmas estatísticas:

– Setenta por cento das empresas familiares falham ou vendem antes da segunda geração assumir.

– Noventa por cento das empresas familiares falham ou vendem antes da terceira geração assumir.

Os dados não são bonitos – embora, como alguns pensadores críticos apontaram, as estatísticas de sobrevivência como essas devem ser colocadas em contexto de tempos em tempos.

O que é importante saber é que os dados não implicam que haja uma chance de 90% de que sua empresa falhará antes de seus netos terem idade para assumir. Depende de você criar uma empresa familiar multigeracional bem-sucedida. Em outras palavras, este não é um jogo de números; é um jogo de planejamento.

A razão pela qual poucas empresas familiares sobrevivem à terceira geração é que elas não têm planejamento e comunicação. As empresas falham quando deixam o conflito familiar e a emoção direcionarem as ações, ao invés de confiar em estratégias comprovadas. Seu negócio não precisa ser assim; ele pode, e deve, sobreviver a um longo, longo tempo.

Todo negócio familiar é diferente, mas as características de um bom planejamento de sucessão são universais. Aqui estão seis etapas simples que sua empresa deve incorporar.

Passo 1: Trate o planejamento de sucessão como se fosse urgente

Um negócio familiar que ignora seu plano de sucessão é semelhante a um trabalhador de 30 anos ignorando seu plano de aposentadoria. Ambos os eventos (sucessão e aposentadoria) parecem estar muito distantes, mas a realidade é que ignorar os primeiros anos pode levar a grandes problemas na estrada.

Por que muitas empresas familiares ignoram ou adiam o planejamento de sucessão? Tenho notado várias razões.

Em primeiro lugar, muitas pessoas subestimam o quão extenso é o planejamento de sucessão. Um processo proativo de planejamento de sucessão permite que as organizações reduzam o impacto de um proprietário ou membro da equipe principal, ajude a proteger a empresa de mudanças dramáticas nas circunstâncias do negócio, bem como a preparar indivíduos direcionados para futuros avanços.

Uma das razões pelas quais muitas empresas ignoram o planejamento de sucessão é que pode ser desconfortável. Os conflitos familiares ocorrem mesmo nos negócios mais saudáveis, e o processo de sucessão está cheio de armadilhas potenciais e barreiras mentais, a menos que você saiba o que está fazendo. Assim, você provavelmente precisará de alguém para guiá-lo através das complexidades. Alguém cuja experiência e imparcialidade ajudem a criar confiança e suavizar os conflitos entre os membros.

Passo 2: Planeje um processo, não um evento

Muitas famílias tratam a sucessão, como se fosse um objetivo longo e elevado. Eles pensam que “algum dia, as crianças terão que assumir o controle”, ou “idealmente, o negócio funcionará sem problemas o suficiente para que meu filho/filha assuma o comando”.

Essa mentalidade é infeliz porque trata a sucessão como um evento, não como um processo. No entanto, como a Family Business Austrália (FBA) aponta, as principais influências em sucessão exigem muito planejamento e preparação. Especificamente, a FBA mostra que os proprietários de negócios em transição estão preocupados com:

Gerando retornos financeiros adequados;

Ter confiança suficiente em sucessores em potencial; e

Receber interesse suficiente dos eventuais sucessores para assumir o controle do negócio.

Você também precisa de tempo para entender as questões legais e tributárias associadas à sucessão e, se for o momento certo para o fundador, a aposentadoria. Isso significa planejamento imobiliário e transferências de capital.

Passo 3: Reúnam-se em torno de seus valores familiares

As empresas familiares fortes criam um senso de valores compartilhados – os tipos de valores que sobrevivem além de um proprietário. Ao se sentar para preparar um plano de sucessão, tome nota das filosofias morais e governantes que orientam sua empresa.

Os valores familiares são mais do que um slogan. Em tempos de conflito ou de luta, sua liderança e funcionários familiares se reunirão em torno de seus valores familiares, usando-os como um guia para tomar decisões difíceis. A unidade familiar e o acordo coletivo são mais importantes do que gerar receita extra? Os membros da família mais jovens devem ser obrigados a trabalhar fora do negócio antes que eles possam assumir o controle?

Pense no seu plano de sucessão como uma oportunidade para criar uma bússola que sua família possa transportar de geração em geração.

Passo 4: Faça reuniões e discuta a sucessão

Um processo de planejamento de sucessão realmente bom se resume a envolver e se comunicar com os membros da sua família independentemente da geração a que pertencem ou suas contribuições imediatas para a empresa.

Tenha em mente – e isso é muito importante – que não é papel da liderança atual fazer a microgestão do processo de reunião. Você quer que todos os membros influentes da empresa e da família possam falar abertamente e dar sua opinião.

É desconfortável e improdutivo sempre que o atual patriarca ou matriarca executa uma reunião inteira apenas para descobrir mais tarde que muitas pessoas queriam oferecer pensamentos construtivos, mas que não se sentiam confortáveis fazendo isso.

Se você tem um consultor especializado de confiança (ou melhor ainda, um conselheiro de negócios da família), sugiro fortemente que você peça para facilitar essas reuniões. Lembre-se, para a maioria dos membros do negócio, esta será a primeira vez que passa por uma sucessão. É valioso ter um guia experiente e que ajuda a criar confiança/resolver conflitos entre os membros.

Passo 5: Eduque sua família

Eu acredito que a educação é a base de uma transição bem sucedida. Sem treinar e aprender, as pessoas lutam para contextualizar o que precisam fazer no processo de sucessão.

Sua família deve ser educada o suficiente para realizar as seguintes tarefas:

Lidar com conflitos, seja por motivos familiares ou comerciais;

Aceitar posições de responsabilidade na empresa;

Atuar como defensores do negócio, independentemente das suas responsabilidades atuais; e

Ver o negócio da família como um legado vivo, com um passado e um futuro interconectados.

Passo 6: Desenvolva uma constituição familiar escrita

A melhor maneira de cimentar seu plano de sucessão é construí-lo em conjunto com uma constituição familiar escrita.

A constituição possui duas funções:

– Atua como um documento governante que promove a continuidade do negócio familiar. Isso significa estabelecer um plano inicial, bem como identificar planos de retorno e meios para resolver conflitos ou tomar decisões difíceis; e

– Define e enfatiza os valores familiares. Você deve deixar claro seus valores familiares em termos concretos para que todos – funcionários, e diretores familiares ou não, e clientes – saibam o que você acredita e como você conduz seu negócio.

O artigo é de David Harland, consultor em negócios familiares, para o SmartCompany, traduzido e adaptado pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 9 de março de 2018

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

As inscrições para o AgroTalento 2020 estão abertas!

Encerra amanhã, dia 30 de setembro, então aproveite agora e descubra os bônus inscríveis que… Read More

29 de setembro de 2020

Athena Foods está de olho no setor ovino australiano para continuar crescendo

A Athena Foods, empresa da brasileira Minerva Foods com a qual atua fora do Brasil,… Read More

28 de setembro de 2020

Arroba do gado magro limita a atuação de pecuaristas de recria e engorda

Nesta semana, o mercado de reposição apresentou morosidade de negócios entre as principais praças pecuárias… Read More

28 de setembro de 2020

Prazo para o proprietário rural entregar declaração do ITR termina no dia 30

A Declaração do Imposto Territorial Rural (ITR) 2020 deve ser entregue pelo proprietário rural até… Read More

28 de setembro de 2020

Valor pago pela carne bovina do Brasil é até 41% menor do que seus concorrentes

Estudo do Centro de Inteligência da Carne Bovina (CiCarne) da Embrapa apontou que o preço… Read More

28 de setembro de 2020