Beefday 2018: tudo que você precisa saber

Pecuaristas, empresas da cadeia produtiva da carne, técnicos agropecuários e profissionais das ciências agrárias de todo o País se reunirão em Colina, interior paulista, para conhecer o conceito do Boi 7.7.7, desenvolvido pelo Polo Regional de Colina da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e que tem revolucionado o modo de se produzir gado de corte no Brasil.

A primeira edição do evento reuniu 1.200 pessoas oriundas de 16 estados brasileiros, Paraguai, Argentina e Colômbia.

O objetivo do evento é ampliar o conhecimento técnico da cadeia produtiva da carne para o desenvolvimento de uma pecuária mais rentável e eficiente. Para isso, serão transferidos conhecimentos sobre o conceito do Boi 7.7.7, um novo método de produção desenvolvido pela APTA em que o animal alcança sete arrobas na desmama, sete na recria e outras sete na engorda, totalizando 21 arrobas no momento do abate. Este resultado é obtido em dois anos no máximo. No sistema tradicional de produção, são necessários, no mínimo, três anos para o animal atingir 18 arrobas. Além da produção precoce, a tecnologia pode aumentar em até 30% os lucros dos pecuaristas.

“Este sistema de produção está sendo amplamente adotado em São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Rondônia, as principais regiões produtoras de gado de corte do Brasil. Hoje, só é possível se manter na pecuária os produtores que incorporarem tecnologias em seu sistema de produção e o Boi 7.7.7 é uma das ferramentas”, explica Flávio Dutra de Resende, pesquisador da APTA e diretor do Polo Regional de Colina.

A necessidade da incorporação de tecnologia é facilmente percebida em números. De acordo com o pesquisador da APTA, Gustavo Rezende Siqueira, na década de 70, um pecuarista conseguia receita de R$ 600 reais por hectare. Se ele tivesse uma fazenda de mil hectares, sua renda seria de R$ 50 mil por mês. Hoje, nessa mesma área, produzindo da mesma forma, o produtor consegue receita de R$ 100 por hectare. Se ele produzir nesses mesmos mil hectares, terá uma renda de R$ 8 mil por mês.

“Adotar o conceito do Boi 7.7.7 significa mais dinheiro no bolso do produtor. Significa melhor qualidade de carcaça para a indústria frigorífica e significa disponibilizar carne de melhor qualidade aos consumidores”, afirma Siqueira.

A segunda edição do BeefDay terá oito dinâmicas no campo. Pesquisadores da APTA, pós-graduandos e outras instituições ministrarão as seguintes palestras: Para onde caminha a pecuária de corte? A importância da genética na construção do Boi 7.7.7, Prenhes aos 14 meses, o que preciso saber?, Quanto o estresse pode interferir no seu resultado?, Quais os caminhos nutricionais do Boi 7.7.7?, Microtoxina: Um inimigo oculto, Os segredos da terminação intensiva a pasto, Boi 7.7.7 na prática: a opinião de quem faz. “São palestras com conteúdo técnico muito rico, mas transmitido de uma forma simples, fácil para o produtor entender e adotar em sua propriedade”, afirma Resende.

Transferência de conhecimento ao setor

Em maio de 2018, a APTA lançou o livro “Entendendo o Conceito do Boi 7.7.7”, durante a Confinar 2018, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. A obra é destinada aos pecuaristas e funcionários da fazenda. “É uma publicação com linguagem bem acessível que descreve como os produtores podem ter uma fazenda eficiente e sustentável. O Boi 7.7.7 leva o produtor a se mexer para alcançar a meta e isso é muito importante para melhorar a competitividade das propriedades brasileiras”, diz Resende.

Além do evento técnico voltado aos produtores e o lançamento do livro, a APTA realiza o projeto Pecuária do Conhecimento, em parceria com a Phibro Saúde Animal. Em sete anos, mais de dois mil pecuaristas de todo o Brasil receberam treinamento para adotar o sistema de produção.

“Além disso, desenvolvemos junto com a Minerva Foods o programa ‘@+Lucrativa’ que financia e dá suporte técnico ao produtor na suplementação dos animais para que eles alcancem a meta do Boi 7.7.7. Atuamos em várias frentes, de diferentes formas, para levar conhecimento ao produtor”, explica Siqueira.

Data: 15 de agosto de 2018
Local: Polo Alta Mogiana – APTA
Colina – SP

Inscreva-se!

Mais informações: http://www.beefday.com.br.

Confira a programação:

PROGRAMAÇÃO

07h00 – 08h00: Credenciamento e Welcome Coffee
08h00: Abertura oficial

08h30 – 13h00: Dinâmicas de campo

ESTAÇÃO 1: Para onde caminha a pecuária de corte? Dr. Thiago Bernardino de Carvalho (Gestor de Projetos e Pesquisador Centro de Estudo Avançados em Economia Aplicada – CEPEA/ESALQ/USP)

ESTAÇÃO 2: A importância da genética na construção do Boi 777. Dra. Maria Eugênia Zerlotti Mercadante (Pesquisadora do Instituto de Zootecnia – Sertãozinho, SP). 

ESTAÇÃO 3: Prenhez aos 14 meses. O que preciso saber? Prof. Dr. José Luiz Moraes Vasconcelos (Professor na FMVZ/USP e na UNESP-Botucatu)

ESTAÇÃO 4: Quanto o estresse pode interferir no seu resultado? Prof. Dr. Gustavo Rezende Siqueira (Pesquisador da APTA-Colina e Professor do Programa de Pós-graduação em Zootecnia da UNESP-Jaboticabal). 

ESTAÇÃO 5: Quais os caminhos nutricionais do Boi 777? Msc. Felipe de Almeida Nascimento (Doutorando em Produção Animal/Unesp-Jaboticabal/APTA-Colina).

ESTAÇÃO 6: Micotoxina: um inimigo oculto! Msc. Letícia Custódio (Doutoranda em Produção Animal/Unesp-Jaboticabal/APTA-Colina).

ESTAÇÃO 7: Os segredos da terminação intensiva a pasto. Prof. Dr. Flávio Dutra de Resende (Pesquisador Científico da APTA-Colina e Professor do Programa de Pós-graduação em Zootecnia da UNESP-Jaboticabal)

ESTAÇÃO 8: O Boi 777 na prática: a opinião de quem faz! Fernando Nemi Costa (Engenheiro Agrônomo e Consultor da Cost@ Assessoria Pecuária) 

13h00: Almoço. Mestre parrilheiro Carlos Lopez (Escola Argentina de Parrilheiros)

 

Inscreva-se!

Veja como foi o evento em 2016:

Foram montadas 7 estações temáticas onde o público teve oportunidade de conhecer as principais tecnologias utilizadas na produção do Boi 777.

Cada estação teve em média 170 participantes que se revezaram para fazerem o caminho do Boi 777. Participaram do evento 1200 pessoas, sendo sua maioria pecuaristas do Brasil e da América do Sul.

Saiba mais: http://www.beefday.com.br.

Fonte: Beefday.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar