Secretaria de Assuntos Fundiários será subordinada à Agricultura

A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), confirmou nesta quinta-feira que o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro vai contar com uma Secretaria de Assuntos Fundiários. Segundo ela, a área será subordinada à sua Pasta.

A afirmação foi dada pela futura ministra após sair das reuniões de transição de governo no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. A nova secretaria deve incorporar atribuições da atual Secretaria de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, vinculada à Presidência da República e sob influência do Solidariedade, e está inserida na lógica de Bolsonaro de agregar à Agricultura outras áreas afins como pesca, floresta plantada e irrigação.

O titular da nova secretaria será o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Antônio Nabhan Garcia, segundo ele próprio. Nabhan se tornou um dos principais conselheiros de Bolsonaro durante a campanha presidencial e inclusive esteve entre os cotados para ministro da Agricultura. Nabhan, no entanto, até chegou a fazer críticas públicas à bancada ruralista, presidida por Tereza, e a desaconselhar o nome da deputada para o cargo de ministra ao staff de Bolsonaro.

A ida de Nabhan para o governo também põe panos quentes em atritos que teve com Bolsonaro. Em vídeo dias depois de confirmar a indicação de Tereza Cristina, sem citar o nome de Nabhan, o presidente eleito afirmou que “um colega andou se excedendo, achando que devia ser ele [para ministro da Agricultura], que ele representava melhor e estava comigo a mais tempo comigo, então tinha que botar minha mãe que está comigo há 63 anos”. “Agradeço muito a essa pessoa, mas precisamos da Câmara e os deputados e senadores sabem o que eles querem para o agronegócio e apresentaram o nome dela [Tereza] e fechei questão”, disse Bolsonaro à época.

Ao Valor, Nabhan confirmou que sua nomeação para o cargo está acertada e negou conflitos com Tereza. “Tenho uma relação extremamente saudável e de longa data com a Tereza, somos produtores no Mato Grosso do Sul, tenho uma relação extremamente respeitosa com ela, e se teve alguma posição contraditória hoje temos uma relação de respeito”, declarou.

Segundo Nabhan sua pasta terá status de ministério mas funcionará dentro da nova estrutura da pasta da Agricultura para conciliar as intenções de Bolsonaro de promover uma redução ministerial em seu governo. “Tudo que é questão agrária, reforma agrária, desapropriações, entrará nessa secretaria. Está em fase de estudo”, finalizou.

Fonte: Valor Econômico.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar