VI Simpósio de leite a pasto acontece dia 25 de novembro, on-line, e conta com palestra de Miguel Cavalcanti
24 de novembro de 2021
Para 2022, especialistas projetam maior produção de carne e alta nos custos
25 de novembro de 2021

Rússia atualiza lista de frigoríficos aptos

O Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor) atualizou a lista de frigoríficos brasileiros liberados para exportar ao país, na qual aparecem agora as 12 plantas reabilitadas na terça-feira. 

Os três frigoríficos de carne bovina e os nove de carne suína ainda estão sujeitos ao controle reforçado da autoridade sanitária russa. Os dez primeiros lotes de produtos que essas unidades exportarem passarão por amostragem obrigatória para verificação laboratorial, segundo a representação comercial da Rússia no Brasil. A medida será uma prevenção contra eventual presença do aditivo ractopamina nas cargas. A identificação do aditivo foi o que levou à suspensão das unidades, em 2017.

 Esse é o último estágio antes da abertura sem qualquer restrição. O anúncio da liberação ocorreu depois da viagem da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, a Moscou, na semana passada. “Já estamos colhendo os frutos da nossa missão oficial à Rússia”, disse. 

Das nove plantas de carne suína reabilitadas, quatro são da BRF – localizadas em Rio Verde (GO), Lajeado (RS), Campos Novos (SC) e Lucas do Rio Verde (MT) -, uma da JBS – Caxias do Sul (RS) – e três da Seara, controlada pela JBS – Três Passos (RS), Itapiranga e Seara (SC). A nona unidade, da Pamplona, fica em Presidente Getúlio (SC). 

“A retomada da nossa atuação na Rússia, um dos maiores mercados consumidores de suínos, confirma a confiança do país na qualidade de nossos produtos”, afirmou Grazielle Parenti, vice-presidente de Relações Institucionais e Sustentabilidade da BRF, em nota. 

Disputa por mercado 

Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa exportadores de aves e suínos, como BRF, Seara e Aurora, com a decisão russa de abrir uma cota com tarifa zero para a importação de 100 mil toneladas de carne suína, o Brasil disputará espaço por um mercado com receita potencial de US$ 200 milhões. 

Também entraram na lista de liberações anunciada pela Rússia duas unidades de carne bovina da JBS, localizadas em Naviraí e Campo Grande, ambas em Mato Grosso do Sul. Completa a relação o frigorífico de carne bovina da Mercúrio Alimentos em Xinguara (PA). 

Na semana passada, a Rússia já havia habilitado um frigorífico da Minerva, localizado em Rolim de Moura (RO), e reabilitado a unidade da companhia em Mirassol d’Oeste (MT), que estava suspensa. Essas duas unidades não têm qualquer restrição ou controle aprimorado para vender carne bovina ao mercado russo.

Fonte: Valor Econômico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *