Categories: Giro do Boi

Queda da demanda já é um problema para caminhoneiros

A queda na demanda por serviço de transporte de carga passou a ser uma nova fonte de preocupação para os caminhoneiros. Com empresas paralisadas ou operando num ritmo mais lento, há menos contratação e também dificuldade em encontrar carga para a viagem de retorno.

Um caminhão sai do Rio Grande do Sul e traz arroz para São Paulo”, exemplificou Wallace Landim, o Chorão, presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava). “Ele fica esperando carga para voltar”, afirmou.

Esse carregamento, porém, tem se tornado mais difícil de obter. Com isso, os elos que formam o sistema de transporte vão se desfazendo. “Pode gerar desabastecimento”, comentou.

“Além disso, eles enfrentam a descapitalização. Muitos já estão com seus caminhões parados”, disse Nelson Júnior, delegado do Sindicato do Transportadores Autônomos de Carga (Sinditac) do Rio de Janeiro. “E formamos uma corrente, na qual um depende do outro”. A falta de recursos se reflete na cadeia.

No entanto, ele avalia que não há ameaça ao abastecimento. “Enquanto tiver estrutura nas estradas para nós, caminhoneiros, estaremos operando”, afirmou.

“Nossas famílias e a população em geral dependem de nós, e não queremos causar um caos maior do que o que estamos vivendo.”

Ele relatou que muitas empresas do eixo Rio-São Paulo estão paradas e sem receber mercadorias. “As grandes metalúrgicas ainda continuam operando, porém os varejistas estão fechados.”

Em São Paulo, a queda na procura por serviços de transporte é de aproximadamente 30%, informou Norival da Silva, o “Preto”, presidente da Federação dos Caminhoneiros Autônomos de Carga em Geral (Fetrabens).

A ajuda de R$ 600,00 que será paga pelo governo aos trabalhadores autônomos foi cobrada pelo presidente do Sinditac de Ijuí (RS), Carlos Alberto Litti Dahmer. “Cada um precisa fazer sua parte”, diz ele, num vídeo distribuído nos grupos de WhatsApp em que anunciava a distribuição de marmitas aos caminhoneiros num entroncamento onde passam mercadorias vindas de outros países do Mercosul.

Litti informou que, na sua região, não houve queda na procura por serviços de transporte.

A queda na demanda se soma a outro problema que já estava em discussão: a falta de serviços de apoio, como restaurantes e oficinas. A Abrava ingressou com mandado de segurança contra o decreto do governo paulista que fecha restaurantes.

O Ministério da Infraestrutura avalia que a falta de serviços ocorre pontualmente. O aplicativo InfraBR passou a mostrar onde há postos, oficinas e restaurantes abertos. Mostra também onde são distribuídos kits de alimentação e higiene.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 2 de abril de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Produção de carne bovina nos EUA cai 21% em abril por conta do coronavírus

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a produção de carne nos Estados Unidos… Read More

25 de maio de 2020

Fechada para clientes, churrascaria assa carne na calçada na zona leste de SP

Desde as 3h deste domingo cerca de 80 quilos de costela permaneceram rodeadas de fogo,… Read More

25 de maio de 2020

Marfrig tem 25 casos positivos de covid-19 em funcionários de unidade de Várzea Grande (MT)

A Marfrig Global Foods foi notificada sobre testes positivos para covid-19 em 25 funcionários de… Read More

25 de maio de 2020

Ajustes em frigoríficos vieram para ficar, afirma especialista

As medidas de segurança adotadas no ambiente frigorífico para tentar mitigar o risco de contaminação… Read More

25 de maio de 2020

Cadeia de fornecimento da indústria de carnes está falhando, mas fazendas menores ainda podem atender às necessidades dos consumidores nos EUA

Will Harris ficou alarmado com as notícias de produtores sacrificando seus animais porque matadouros e… Read More

25 de maio de 2020

Brasil alcança abertura de 60 mercados para produtos agropecuários

O Brasil alcançou a marca de 60 mercados externos abertos para produtos agropecuários desde janeiro… Read More

25 de maio de 2020