Índice de alimentos da FAO cai pela primeira vez em 12 meses
8 de julho de 2021
CEPEA: Exportação completa três anos de volume mensal acima de 100 mil t
8 de julho de 2021

“Quebramos nosso sistema alimentar de três maneiras”, diz Will Harris, proprietário da White Oak Pastures

Industrialização, centralização, comoditização – três maneiras pelas quais mudamos nosso sistema de produção de alimentos no século passado. Will Harris, proprietário da White Oak Pastures, comentou os resultados que vimos em nosso sistema alimentar por causa dessas mudanças, em sua última postagem no blog. Confira abaixo:

Nos últimos 75 anos, quebramos nosso sistema de produção de alimentos de três maneiras. Nós industrializamos, centralizamos e transformamos a agricultura [produção de alimentos] em commodities. Todas as três foram ações diferentes que produziram três resultados diferentes.

Industrialização

Usamos as ferramentas da tecnologia para transformar o sistema cíclico de gestão da terra [agricultura] em um modelo de fábrica linear. Quebramos todos os ciclos da Natureza [não apenas o carbono, mas todos eles].

Centralização

Pegamos o trabalho de agregar valor aos produtos agrícolas e os transferimos para instalações de processamento distantes e centralizadas. A centralização prejudica ambas as comunidades. As pequenas comunidades rurais empobreceram porque se tornaram irrelevantes. As comunidades em torno das instalações de produção centralizadas foram sobrecarregadas com poluição, recursos reduzidos, condições sociais precárias dos funcionários e serviços públicos inadequados.

Commoditização

Anteriormente, os agricultores que tinham a reputação de produzir “o melhor dos melhores” recebiam um prêmio por ter o produto da mais alta qualidade. No último meio século, começamos a mercantilizar os produtos agrícolas, vinculando o preço que os agricultores recebiam por um produto ao cumprimento de padrões mínimos, e não à qualidade do produto. Os padrões mínimos baseavam-se logo acima do produto de pior qualidade que os consumidores comprariam.

Se um agricultor gastasse dinheiro ou tempo colocando qualidade extra na produção, esse valor não poderia ser extraído monetariamente do mercado de commodities. Foi uma corrida para o fundo do poço em termos de sabor, nutrientes e qualidade dos produtos agrícolas.

A agricultura regenerativa e o gerenciamento holístico da terra são fundamentais para nossa fazenda. Mas criar um sistema alimentar resiliente não se trata apenas de agricultura regenerativa – requer abordar todos os ciclos que estragamos.

Industrialização = Ciclos quebrados da Natureza
Centralização = empobrecimento rural
Commoditização = perda de nutrientes

A industrialização é apenas uma de nossas falhas em nosso sistema alimentar. Um agricultor precisa ser capaz de reiniciar os ciclos da Natureza, processar e distribuir, e também monetizar os produtos.

Como uma fazenda, estamos trabalhando para construir resiliência em todas as áreas:

Industrialização

Nosso sistema holístico de gestão da terra funciona para reiniciar todos os ciclos da natureza que a humanidade quebrou. Todos os ciclos da Natureza são essenciais. O ciclo do carbono é um entre muitos, mas estou muito orgulhoso de sermos a única fazenda que possui prova científica de que nosso sistema sequestrou carbono.

Centralização

Tenho muito orgulho de sermos o maior empregador privado em nosso condado, emitindo cheques de folha de pagamento no valor de quase US $ 100.000 por semana, em um dos condados mais pobres dos EUA.

Commoditização

Tenho muito orgulho do fato de nossa fazenda ser verticalmente integrada na produção, processamento, agregação de valor, atendimento de pedidos e embarque de bovinos, suínos, ovinos, aves e muitas outras coisas. Somos capazes de criar nosso gado criado a pasto e vender esses produtos diretamente aos nossos clientes.

Fonte: Artigo de Will Harris, para o blog da White Oak Pastures.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *