Categories: Giro do Boi

Quase um em cada quatro americanos diminui a carne, “mas isso não significa que o vegetarianismo esteja em alta”

Quase um em cada quatro americanos (23%) supostamente comeu menos carne no ano passado do que antes, enquanto a grande maioria (72%) diz que está comendo a mesma quantidade de carne, de acordo com uma pesquisa de mercado da Gallup.

Questionado sobre a frequência com que eles comem carne, como carne bovina, frango ou carne suína, dois em cada três adultos norte-americanos dizem que comem com frequência (67%), enquanto 23% dizem que comem carne ‘ocasionalmente’ e 7% ‘raramente’ comem. Apenas 3% relataram ‘nunca’ comer carne.

Saúde

A pesquisa foi realizada em setembro, onde constatou que, apesar dos americanos comerem menos carne, isso não significa que o vegetarianismo esteja em ascensão.

De fato, o último relatório da Gallup sobre o assunto revelou que 5% dos americanos se consideram vegetarianos, semelhante à taxa nos últimos 20 anos.

“Dados do Departamento de Agricultura dos EUA descobriram que a carne de porco e a carne bovina eram as carnes mais populares durante a década de 1900, mas o frango ganhou acentuadamente popularidade ao longo do tempo, eventualmente se tornando a carne mais consumida nos últimos anos. De uma perspectiva global, os EUA estão regularmente entre os os principais países para o consumo de carne ”, disse Justin McCarthy, analista e co-autor de relatórios da Gallup.

Ele acrescentou que, para reduzir um “possível efeito econômico negativo” do consumo reduzido de carne, o governo e os líderes da indústria devem levar a sério a redução de carne dos americanos e considerar a lógica por trás disso.

Ele disse que o marketing da indústria deve mudar em direção a possíveis aspectos de saúde, meio ambiente ou bem-estar animal, que podem ser redirecionados para as mudanças no mercado e criar novos mercados.

A Gallup descobriu que o maior fator na redução do consumo de carne é a saúde, onde nove em cada dez dizem que é uma das principais razões (70%) ou uma razão menor (20%) para reduzir a carne. Após a saúde, as preocupações ambientais são o próximo fator mais importante que leva à redução do consumo de carne. Aqui, sete em cada dez afirmam que as preocupações com o meio ambiente estão por trás de evitar carne (49% dizem que é uma das principais razões e 21% acham que essa é uma razão menor).

A maioria também disse que preocupações com a segurança alimentar (43% maior, 22% menor) e o bem-estar animal (41% maior, 24% menor) fazem com que comam menos carne.

Os motivos menos citados para evitar a carne são que é mais conveniente devido aos hábitos alimentares de outros membros da família (16% maior, 24% menor) e que eles veem outras pessoas comendo menos, pouca ou nenhuma carne (15% maior, 19% menor razão).

As razões religiosas foram a razão menos citada para reduzir o consumo de carne (12% maior, 17% menor).

A maneira mais popular de reduzir o consumo de carne é ingerir pequenas porções (77%), de acordo com americanos que relatam ter consumido menos carne este ano.

“Outras maneiras pelas quais os americanos reduziram o consumo de carne foi alterando as receitas para usar menos carne, substituindo a carne por vegetais ou outros ingredientes (71%) e eliminando a carne inteiramente de algumas refeições (69%)”, disse McCarthy.

“Pouco mais de um terço dos americanos (36%) que reduziram o consumo de carne afirmam comer substitutos de carne, como hambúrgueres ou salsichas à base de plantas.

“Apenas cerca de 5% dos americanos se identificaram como vegetarianos nas últimas duas décadas, descobriu a Gallup, e menos ainda se identificam como veganos. 97% dos americanos na pesquisa mais recente relatam comer carne pelo menos raramente, e dois em cada três dizem que comem com frequência. “

Ainda assim, quase um quarto dos americanos está comendo menos carne. O momento por trás das opções de carne à base de plantas pode refletir essa redução no consumo de carne e possivelmente acelerá-lo.

Esse declínio no consumo de carne afetaria particularmente as economias e indústrias rurais, incluindo hospitalidade, alimentos empacotados, varejo de supermercado e produção e processamento de carne vermelha e aves, o maior segmento da produção agrícola dos EUA.

Fonte: GlobalMeatNews.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 29 de janeiro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Preço do Novilho do Mercosul segue perdendo força

O Novilho Mercosul voltou a cair nesta semana. O índice apurado pela Faxcarne apontou queda… Read More

25 de setembro de 2020

Equipamentos 3D são capazes de imprimir de um tudo — agora, até carnes

Em 1984, um estudante de engenharia perguntou ao americano Chuck Hull, inventor da impressora 3D,… Read More

25 de setembro de 2020

Certificação da Carne Hereford colhe resultados positivos em Santa Catarina

Assinado no final de 2019, o contrato entre a Associação Brasileira de Hereford e Braford… Read More

25 de setembro de 2020

BNDES volta a pedir ação por danos à JBS

Amparada por decisão favorável em tribunal arbitral, a BNDESPar, braço de participações acionárias do Banco… Read More

25 de setembro de 2020

Primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa já imunizou 166 milhões de animais

Os dados parciais da primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2020 mostraram… Read More

25 de setembro de 2020

Pecuária orgânica é oportunidade pós-pandemia

Atividade ainda incipiente no País, a pecuária orgânica é viável e representa uma oportunidade de… Read More

25 de setembro de 2020