Por Rodrigo Lemos Meirelles, nutricionista de ruminantes (Agroceres).

Bom amigos, tenho visitado vários confinamentos que estão se preparando para a temporada. Muitos produtores preocupados com a alimentação cara, o boi magro caro, o preço da arroba não respondendo tanto quanto se espera, enfim, as preocupações normais de todo ano.

Pensando na alimentação, em função dos insumos estarem com preços atuais elevados e onde se buscam cada vez mais a otimização da utilização e o menor desperdício, me arrisquei a escrever um pouquinho sobre o desperdício.

Vejo muitos confinadores com estruturas antigas, bebedouros sujos e insuficientes, e cochos sem o dimensionamento correto para a lotação e vários quebrados. Bem, escuto volta e outra frases como: ”É caro trocar todos esses cochos quebrados!”, ou: “A perda não é tanta!”.

Com a ajuda do amigo Fernando Nemi Costa, vou lhes mostrar alguns cálculos, cada um pode (e deve) fazer o seu, com perdas e danos de cochos quebrados. O “experimento” foi feito da seguinte maneira: foi mantido o cocho quebrado e orientado a um tratador em coletar a dieta jogada ao chão antes dos bois comerem, deu trabalho, mas prestem atenção aos resultados:

– Foram considerados 400 metros de cocho, onde foram encontrados 28 m quebrados;

– Com uma lotação de 3,3 bois/metro linear X 12,6 kg (dieta total)/dia = 41,58 kg/dia (o total da dieta oferecida);

41,58 kg/dia X 60% de perdas (a perda encontrada nos cochos quebrados, um pouco ficava no cocho) = 24,95 kg/dia

24,95 Kg x 28 m (a metragem dos cochos quebrados) = 698 kg x 105 dias (periodo de confinamento) = 73.347 Kg

73.347 Kg x R$ 0,29 p/Kg (esse é o custo da dieta, cada um coloque a sua para calcular) = (R$ 21.270,00). Esse é valor perdido durante o confinamento! Se os cochos fossem consertados ou substituídos, quando custaria?

Bom, cada um se preparando para tocar o seu confinamento, ainda dá tempo de corrigir pequenas falhas, com os preços que estão os insumos e a arroba, esse ano vai ser no detalhe de novo, e não vamos errar nesse pequeno detalhe.

Quanto vale um cocho quebrado?

Cocho quebrado (foto Fernando Nemi Costa)

Cocho quebrado (foto Fernando Nemi Costa)

Rodrigo Lemos Meirelles é nutricionista de ruminantes (Agroceres).

This post was published on 4 de junho de 2012

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

CEPEA: Preço interno segue operando na máxima nominal

A baixa oferta de animais para abate mantém os preços diários da arroba operando nas… Read More

17 de setembro de 2020

Pecuaristas e industriais paraguaios avançam para criar o instituto da carne

Os pecuaristas e industriais do Paraguai, após um longo período, voltaram a reunir-se com o… Read More

17 de setembro de 2020

Coalizão entre agronegócio e ONGs propõe ao governo ações contra desmatamento

Uma coalizão formada por 230 representantes do agronegócio, de entidades não-governamentais (ONGs) e outros setores… Read More

17 de setembro de 2020

Arroba segue firme, mesmo com consumidor retraído

Nesta terça-feira, o mercado físico do boi gordo operou com maior cautela e foi marcado… Read More

17 de setembro de 2020

CNA: reforma tributária isenta 80% dos produtores do País

O presidente do Instituto CNA, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Roberto… Read More

17 de setembro de 2020

Rabobank aponta novas oportunidades para proteína animal na China no pós Covid-19 e PSA

O mercado de proteína animal na China tem experimentado grande volatilidade nos últimos anos. Conforme… Read More

17 de setembro de 2020