Categories: Entrevistas

Professores/Pesquisadores devem passar mais tempo com os animais, desenvolver ações que possam ser replicadas e mostrar como deve ser feito – Marcos Chiquitelli [Prêmio BeefPoint Bem-estar Animal]

O BeefPoint realizará um grande evento – BeefSummit Bem-estar Animal -,  no dia 8 de maio de 2014, no Centro de Convenções do Ribeirão Shopping, na cidade de Ribeirão Preto/SP.

O evento terá a participação especial de Temple Grandin – pesquisadora que é referência mundial em bem-estar animal. Além de palestras inovadoras, com o Prof. Mateus Paranhos da Costa e pecuaristas que são referência nas práticas de bem-estar animal no Brasil.

Estes profissionais irão compartilhar casos de sucesso e aprendizados nesta área que cresce, a cada dia, dentro da cadeia produtiva da carne. E para fechar o dia com chave de ouro realizaremos a entrega do Prêmio BeefPoint 2014 – Edição Bem-estar Animal, que irá homenagear pecuaristas, profissionais, vaqueiros e pesquisadores que são referência em bem-estar no Brasil.

O público escolherá por meio de votação online, o vencedor de cada categoria. Assim, para você – leitor BeefPoint -, conhecer melhor os indicados, nós preparamos uma entrevista com cada um deles!

Conheça Marcos Chiquitelli Neto, finalista na categoria Professor/Pesquisador Referência em Bem-estar Animal.

Marcos Chiquitelli Neto, residente em Ilha Solteira/SP, é professor universitário do Departamento de Biologia e Zootecnia da UNESP-Ilha Solteira, no qual ministra aulas nas disciplinas de bem-estar e manejo, etologia, comportamento animal, bioclimatologia e exterior e julgamento animal. Atua também como consultor em manejo e bem-estar de bovinos de corte desde 2000.

Iniciou sua carreira profissional dentro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal – Grupo ETCO -, onde pode desenvolver suas habilidades em princípios de qualidade total, aplicados à produção de bovinos de corte.

Institui o Núcleo de Manejo Racional – Grupo MANERA -, desde 2006, onde durante esses 14 anos, além do envolvimento na docência e pesquisas voltadas ao manejo e produção de bovinos de corte, realizou mais de 100 treinamentos e a elaboração de mais de 30 projetos de instalações visando o bem-estar e manejo desses animais, tanto em universidades como nas fazendas e frigoríficos interessados em promover uma melhor interação entre bovinos e colaboradores da atividade.

Na universidade, além dos estudos e atividades de ensino, coordena o desenvolvimento do projeto Portal do Cerrado, com provas de eficiência produtiva do gado Guzerá:

  • Parte 1:
  • Parte 2:

Seu hobbie preferido é velejar, além de tocar guitarra e cantar durante eventos de músicas autorais. No entanto a atividade de voluntário em projetos sociais de educação ambiental são as ações que mais lhe demandam tempo nos últimos anos:

Seu livro preferido é Endurance, a lendária expedição de Shackleton à Antártica, de Caroline Alexander.

BeefPoint: Com base em suas pesquisas, o que você implementou de diferente na pecuária brasileira e no quesito bem-estar animal, que levou você a ser um dos finalistas do Prêmio BeefPoint Edição Bem-estar Animal?

Marcos Chiquitelli: Acredito que fiz muitos bons amigos (risos), mas a valorização do ser humano e a perspectiva de bovino, repassada para o peão e fazendeiro que começam a entender que os animais de produção devem ser entendidos como os principais clientes da fazenda, possam ter sido as principais contribuições que pude deixar durante esse tempo de trabalho.

BeefPoint: Na sua opinião, o que pode ser feito para diminuir a distância da pesquisa com a prática vivenciada no campo?

Marcos Chiquitelli: Primeiro, o professor/pesquisador deve ficar mais tempo com os animais do que com o seu “laptop”, pois só assim ele poderá compreender melhor a “coisa” biológica e comercial juntas.

Segundo, ele deve desenvolver ações que possam ser replicadas no cotidiano de fazendas e frigoríficos sem que estas sejam barreiras para o avanço do conhecimento e finalizando, ele tem que saber realmente executar o que se diz – na prática -, ou seja, mostrar como deve ser feito.

Aqui também quero deixar destacado a necessidade do investimento pela iniciativa privada nessas ações, fato fundamental para a aproximação entre esses dois elos da cadeia.

BeefPoint: O que você faz para difundir suas pesquisas para os pecuaristas? O que ainda pode ser feito?

Marcos Chiquitelli: Atualmente, atuo como um dos técnicos de consultoria em bem-estar animal da empresa Brasil Com Z e também pela fundação de nossa universidade, onde realizo conferências, cursos, consultoria e desenvolvimento de projetos de instalações para manejo.

Infelizmente poucas informações das pesquisas chegam aos produtores, nesse sentido o BeefPoint e outros agentes de mídia (televisiva, internet ou impressas) tem divulgado algumas de nossas ações.

BeefPoint: Quais suas linhas de pesquisa? O que lhe traz mais resultados?

Marcos Chiquitelli: Meus trabalhos são concentrados no bem-estar de bovinos de corte e suas consequências na eficiência do trabalho e no desempenho animal.

Para mim uma lacuna ainda pouco trabalhada e que obtive muitos resultados positivos é na melhor compreensão do ser humano que lida com os animais. Apesar das universidades e pesquisas ainda estarem longe desse tipo de conhecimento, na pecuária de corte, todos os colegas fazendeiros que investiram nisso, obtiveram sempre melhores resultados com o rebanho.

BeefPoint: Qual a aceitabilidade dos pecuaristas quanto a adoção de novas técnicas de manejo em suas propriedades, principalmente as focadas no manejo racional?

Marcos Chiquitelli: Sempre fui muito bem recebido em todas as localidades em que fui solicitado, mas é muito engraçado que, na maioria dos casos, os peões e funcionários mais baixos (aqueles que tem contato direto com os animais diariamente) sempre conseguem assimilar melhor as informações sobre comportamento e interação homem x animal.

Ao contrário, encontramos técnicos mais reticentes em aceitar o melhor tratamento na rotina com os animais.

Vale ressaltar que isso foi mais forte entre 2000 e 2005, pois atualmente as pressões comerciais tem feito as corporações assumirem com mais efetividade a ideia do manejo racional, especialmente por terem sido melhor divulgados os bons resultados obtidos com tais ações.

BeefPoint: Todos sabemos que aprendemos mais com nossos erros. O que fez e deu errado? Você poderia nos contar?

Marcos Chiquitelli: Já fiz muita coisa errada, nossa e quanta coisa! A última foi avançar muito a distância de fuga de um guzerá de 350 kg durante avaliação de temperamento e meus quilos a mais pesaram nas pernas e acabei levando uma chifrada na mão, que por sorte não a atravessou.

No mesmo sentido, talvez o meu próprio temperamento tenha sido um empecilho no relacionamento com algumas pessoas no decorrer de minha vida, assim, tenho buscado incessantemente a melhoria da minha interação com os outros animais – humanos -, e acredito que já tenha avançado um pouco nisso.

BeefPoint: Qual o maior desafio da pecuária brasileira hoje?

Marcos Chiquitelli: Conseguir equilibrar a produção de alimentos de origem animal com as novas perspectivas da nova era mundial, ou seja, produzir com competitividade estando em harmonia com os recursos naturais e o ser humano envolvido no processo.

BeefPoint: Qual inovação e/ou novidade na pecuária de corte você mais gostou dos últimos anos? O que precisamos inovar?

Marcos Chiquitelli: A melhor inovação que percebi, tendo como base o histórico dos últimos 15 anos, foi a mentalidade dos novos empresários da carne.

Essa inovação talvez tenha sido a maior responsável para que nossa pecuária de corte tenha se destacado dentro do cenário nacional. Assim, precisamos ainda fazer uma melhor gestão dos processos (pelo menos isso é a nossa parte, vamos esquecer os impostos!).

Creio que já melhorou muito, mais ainda encontramos indivíduos que acreditam que uma máquina ou técnica poderá resolver o seu problema financeiro. Mas, puxando um pouco de sardinha para o meu lado, acho que escolas preparatórias de técnicos em pecuária de corte possam ser uma boa escolha para o futuro desse nosso setor.

BeefPoint: Quais seus planos em 2014?

Marcos Chiquitelli: Conseguir tirar 30 dias de férias (risos), afinal nós também precisamos investir no nosso bem-estar!

BeefPoint: Qual o maior exemplo de professor/pesquisador que trabalha com bem-estar animal? Quem você admira por fazer um excelente trabalho?

Marcos Chiquitelli: Vários profissionais foram exemplos para minha formação durante essa ainda jovem vida profissional que desfruto, mas gostaria de homenagear aqueles homens que realmente contribuíram para minha formação e, por incrível que pareça, foram aqueles velhos capatazes, quase esquecidos em fazendas nas fronteiras do Brasil que sabem o nome de cada vaca, a história de cada uma delas com detalhes que tocam a nossa alma e que infelizmente não conseguiremos encontrar mais com facilidade por ai.

Mas, um profissional que merece destaque nessa área é o Renato dos Santos que conseguiu aliar muito bem os princípios teóricos ao desenvolvimento na prática da melhoria do bem-estar de animais nas fazendas.

BeefPoint: Qual seu recado para os pecuaristas?

Marcos Chiquitelli: Continuem acreditando em melhoria contínua, só com nossa crença, muito trabalho e resolvendo os problemas que estão sob nossa responsabilidade é que alcançaremos melhores condições de vida para os animais, humanos ou não.

Confira outras fotos que ilustram o trabalho desenvolvido por Marcos Chiquitelli:

Conheça melhor o BeefSummit Bem-Estar Animal!

Prêmio BeefPoint 2014 – Edição Bem-estar Animal – Vote agora em quem é referência no Brasil!

Quer ganhar um convite? Participe da promoção de fotos BeefSummit Bem-estar Animal!

This post was published on 14 de abril de 2014

Share

View Comments

  • Felicito al Profesor Chiquitelli Neto por la claridad de sus ideas y la coherencia con su práctica profesional. Las fotos son excelentes. Tiene mi voto.

  • Muito Obrigado Marcos ! Mais importante do que o prêmio é poder compartilhar idéias e ser bem recebido.

Recent Posts

INAC promove carne uruguaia em restaurantes da China

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) vem desenvolvendo campanhas na China com restaurantes e empresas… Read More

8 de março de 2021

Número de mulheres dirigindo propriedades rurais no Brasil alcançou quase 1 milhão, segundo dados do Mapa, Embrapa e IBGE

O número de mulheres dirigindo propriedades rurais no Brasil alcançou quase 1 milhão. A partir… Read More

8 de março de 2021

Exportações de carne bovina recuaram em fevereiro

As exportações brasileiras de carne bovina (in natura e processada) alcançaram 124,5 mil toneladas e… Read More

8 de março de 2021

Vai um bife por US$ 1mil? É de laboratório

“Garçom, um filab mal passado, por favor”. Um bife de laboratório, cultivado a partir de… Read More

8 de março de 2021

Novas regras para manejo de pastagens no Pantanal em MT

Depois que incêndios consumirem 30% dos 6 milhões de hectares do Pantanal que ficam em… Read More

8 de março de 2021

Fazenda Futuro terá Alexandre Ruberti, ex-Red Bull, no comando da operação nos EUA

A brasileira Fazenda Futuro, startup de proteínas vegetais do empresário Marcos Leta, está expandindo as… Read More

8 de março de 2021