Produtores australianos trabalham para tornar a carne bovina neutra

De designers de jogos de Adelaide a especialistas em microalgas de Sydney, mentes inovadoras em todo o país estão trabalhando para reduzir a pegada de carbono da indústria de carne vermelha da Austrália.

Os produtores também estão fazendo sua parte justa do trabalho pesado na elaboração de maneiras de reduzir as emissões de metano da pecuária e novos métodos de medição de carbono no solo.

A incubadora de empresas de tecnologia Cicada Innovations e o departamento de pesquisa e desenvolvimento da indústria de carne bovina, Meat and Livestock Australia (MLA), uniram forças para criar um “hackathon” para encontrar soluções para esses dois desafios principais.

O MLA está impulsionando a ambiciosa meta da indústria de carnes vermelhas de ser neutra em carbono até 2030 por meio de uma combinação de novos investimentos em pesquisa, desenvolvimento e adoção, e por meio de políticas.

O hackathon ofereceu um prêmio em dinheiro de A$ 10.000 e envolveu meses de trabalho sobre os desafios.

Um alimentador de precisão para administrar a entrega de suplemento limitante de carbono para a pecuária, ideia de um grupo de produtores que administram uma pequena operação de criadores no sudeste de Queensland, eliminou o desafio de redução de emissões.

Peter Heywood, co-fundador do NextGen Supplement Feeder, disse que a equipe – Robert Aisthorpe, Craig Fraser-Grant, Ross McNichol e ele próprio – estavam nos estágios iniciais do desenvolvimento da solução combinada de hardware/software.

“Dada a pesquisa de aditivos para ração atualmente em andamento, prevemos que nos próximos anos haverá toda uma gama de coisas que podem ser adicionadas à alimentação animal para reduzir as emissões de gases do efeito estufa”, disse Heywood.

“A partir disso, vimos uma oportunidade em potencial para desenvolver uma solução sobre como isso é gerenciado no campo. Tivemos resultados promissores em nossos testes de campo iniciais e para desenvolver ainda mais nossa solução, entramos no hackathon.”

Lá, eles puderam acessar as instalações de alta tecnologia da Cicada e colaborar com outros membros da comunidade de tecnologia e agtech, e agora estão ansiosos pelo apoio contínuo e orientação da MLA e da Cicada Innovations para levar a ideia da prova de conceito para o próximo estágio.

“Apoiamos a meta da indústria de carne bovina de ser neutra em carbono até 2030 e queremos contribuir para isso”, disse Heywood.

Os produtores de carne de Queensland, Robert Aisthorpe e Peter Heywood, criaram um alimentador de precisão para aproveitar as rações de gado que reduzem o metano.

O produtor de uva da Austrália do Sul, Oli Madgett, expandiu sua tecnologia de ponta em testes de solo em vinhedos para ajudar os pecuaristas a medir e monitorar o carbono do solo, vencendo o segundo desafio de hackathon.

A Platfarm de Madgett reúne vários grupos separados para tornar a medição de carbono do solo transparente.

Desde dividir a terra em zonas de medição, até dizer aos empreiteiros exatamente onde ir para amostrar o solo até rastrear exatamente como os proprietários gerenciam essa propriedade para sequestrar o carbono atmosférico, a Platfarm permitirá que os pecuaristas estabeleçam seus níveis hoje, para que possam potencialmente solicitar créditos de carbono  no futuro.

Madgett disse que os créditos de carbono são apenas a cereja do bolo.

“Entender nossos níveis de carbono orgânico no solo nos permite tornar os solos os mais saudáveis e resilientes possíveis, reter os níveis de umidade e produzir melhores frutos”, disse ele.

“É realmente apenas uma boa estratégia de gestão de terras, com potencial futuro para ter outra fonte de renda. O mesmo é verdadeiro para os produtores a pasto, de forma que usar a Platfarm na indústria de carne vermelha foi um passo lógico.”

Os organizadores do hackathon disseram que uma das características únicas do evento foi a variedade de origens dos participantes.

Equipes de fora da indústria agrícola estavam desenvolvendo habilidades desenvolvidas em outras disciplinas e aplicando-as para ajudar a indústria australiana de carnes vermelhas a encontrar maneiras de reduzir as emissões, disseram eles.

O gerente de inovação em sustentabilidade da cadeia de fornecimento da MLA, Doug McNicholl, disse que o trabalho realizado pela CSIRO levou a indústria a acreditar que poderia ser neutra em carbono até 2030.

“Iniciativas como esse hackathon são projetadas para encorajar ideias novas e inovadoras para enfrentar desafios específicos identificados em nossa iniciativa Carbon Neutral by 2030, ao mesmo tempo em que impulsionam os ganhos de produtividade para a indústria”, disse ele.

Fonte: FarmOnline, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar