Categories: Giro do Boi

Produtor e indústria devem trabalhar em equipe para captura e divisão de resultados ao longo da cadeia produtiva – Eduardo Pedroso

Eduardo Krisztán Pedroso, Diretor de Originação de SP/MS da JBS, comentou o artigo de André Bartocci, com o título “O Show da Carcaça e o Vale do Silício da Pecuária”, confira o comentário na íntegra:

O artigo demonstra amadurecimento comercial, algo fundamental para a elevação das relações indústria e produtor. O mercado está mudando rapidamente. População urbana é crescente com maior poder de renda e informação. Quem tem informação e renda quer ter poder de escolha com conhecimento de causa. Pecuária que produz carne de qualidade é a pecuária de valor sustentado.

Neste sentido, a indústria consolidada se traduz como uma grande parceira do pecuarista por servir de canal de vendas que conecta a pecuária aos múltiplos mercados consumidores. Uma batalha incessante pelo melhor mix de comercialização.

O volume possibilita a realização de campanhas de marketing na TV aberta por permitir a logística necessária à entrega de carne em qualquer lugar do Brasil. O marketing aguça a demanda. E a demanda sustenta o preço. Mas a recompra do consumidor está condicionada a entrega da qualidade prometida. E este é um desafio de toda a cadeia produtiva. Se trabalharmos juntos, navegaremos em um inexplorado oceano azul.

A cada arroba de carcaça, temos em média, apenas 2 kg de carne com potencial de valor agregado efetivo. E 50% deste volume é representado pelo contra filé (em números redondos). Cientificamente chamado de Longissimus dorsi, o contra filé é grande, pesado e muito relevante na apuração da carçaca. Sua qualidade com planejamento certo é determinante para o acesso aos níveis mais sofisticados de demanda. Porém em grande escala, temos de pensar com mente aberta, mercado interno + exportação. Não é a toa que os americanos estudam obstinadamente as alternativas de valorização desse corte. Nosso mercado interno está habituado a consumir um contra filé duro e batido no martelo. Teremos um grande salto na pecuária quando admitirmos esta realidade e começarmos a trabalhar para mudar esta situação.

Mas na prática, como bem colocado no artigo, já temos exemplos de grupos de produtores que estão trabalhando neste sentido. O Show da carcaça deste ano foi acompanhado pelo Prof. Dr. Sérgio Pflanzer da Unicamp e mais de 40 amostras de contra filé foram colhidas para estudos laboratoriais de maciez.

Em paralelo, esta parceria com a Associação do Novilho Precoce – MS se estendeu para uma parceria inédita com a Acrissul em um dos maiores e importantes eventos agropecuários do nosso país, a Expogrande 2014.

Durante esta semana, a carne Friboi, produzida 100% com carne de novilhos precoces do MS está abastecendo com exclusividade do Parque de Exposições Laucídio Coelho em Gampo Grande. Desde a carne moída das barracas de pastel, espetinhos, cardápios dos restaurantes e os buffets dos mais de 40 leilões, estão sendo abastecidos por este produto.

O show da carcaça se traduz em 15 dias de show de consumo, em sua forma mais ampla e democrática.

De um lado, os mais de 300 mil visitantes da exposição estão tendo acesso a este produto diferenciado em várias modalidades de preparo. Orgulho de consumir a melhor carne do MS, abatida em Campo Grande e servida em Campo Grande.

De outro, os pecuaristas passam a entender na prática que a marca Friboi é a marca que embala e distribui a qualidade que vem do campo. Friboi é a marca do pecuarista.

Se o dinheiro do freguês está sobre a mesa, e se a captura deste valor requer planejamento de suprimento e ressuprimento, nada mais óbvio do que a oportunidade de apararmos as arestas das relações indústria e produtor e trabalharmos em equipe para captura e divisão de resultados ao longo da cadeia produtiva.

E aí, seu boi é Friboi? Este compromisso de entrega de qualidade é o compromisso que traduz a campanha de relacionamento da JBS com os pecuaristas de todo o Brasil. o lema é “Juntos por um Boi de Sucesso”.

Clique no link abaixo e confira o artigo na íntegra e demais comentários:

“O Show da Carcaça e o Vale do Silício da Pecuária”

This post was last modified on 29 de abril de 2014 18:45

Share

Recent Posts

Ação de promoção da carne brasileira no mercado árabe pode gerar US$ 200 milhões em negócios

Bom ritmo de negócios e ampliação de relacionamentos marcaram a participação da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec)… Read More

21 de fevereiro de 2020

O AgroTalento me ajudou a realizar meus sonhos e objetivos pessoais e profissionais

Luciano Guimarães Simão nasceu em Uberlândia e é de uma família de produtores rurais. Seu tataravô já era pecuarista. Ele… Read More

21 de fevereiro de 2020

Abertura de capital nos EUA no radar da Marfrig

Com mais de 60% do faturamento no mercado americano, a Marfrig Global Foods vislumbra abrir o capital do grupo em… Read More

21 de fevereiro de 2020

Fazenda Figueira completa 20 anos como estação experimental

A Estação Experimental Agrozootécnica Hildegard Georgina Von Pritzelwitz, também conhecida como Fazenda Figueira, completou 20 anos de sua implantação nesta… Read More

21 de fevereiro de 2020

RS pedirá para deixar de vacinar, mas aval depende de melhorias

O Estado pedirá ao Ministério da Agricultura a retirada da vacina contra a febre aftosa. Mas a decisão será reavaliada… Read More

21 de fevereiro de 2020