Categories: Giro do Boi

Preço do boi gordo sobe até R$ 3 nesta segunda-feira; veja onde

O mercado físico de boi gordo começou a semana com preços entre estáveis a mais altos. Segundo o analista da Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, não houve grande avanço na oferta de animais terminados e prontos para o abate na maior parte do país.

“No geral os frigoríficos operam com escalas de abate encurtadas, posicionadas entre dois e quatro dias úteis. A expectativa é que o avanço da oferta em abril seja pouco significativo. Por ao menos mais trinta dias a tendência é de um ambiente ainda pautado pela restrição de oferta”, diz.

Com chuvas menos volumosas entre os meses de maio e junho, a tendência é que as pastagens se deteriorem, fazendo com que os pecuaristas apresentem uma menor capacidade de retenção.

“De qualquer maneira a expectativa é de grande resiliência dos preços em todo o ano, mesmo no auge da safra de boi gordo. A demanda doméstica de carne bovina segue como um foco de atenção, o primeiro trimestre foi pautado por uma elevada descapitalização, entretanto, a entrada de uma nova rodada do auxílio emergencial tende a produzir impacto no consumo de produtos básicos, mesmo com uma parcela menor”, afirma Iglesias.

Na capital de São Paulo, a referência para a arroba do boi ficou a R$ 320 a arroba, estável na comparação com a quinta-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 300, estável. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 306, ante R$ 305 a arroba. Em Cuiabá (MT), a arroba ficou indicada em R$ 305/R$ 306 a arroba, ante R$ 305. Em Uberaba (MG), preços a R$ 313, contra R$ 310.

Carne bovina no atacado

No mercado atacadista, os preços da carne bovina ficaram de estáveis a mais altos. Conforme Iglesias, a tendência é que haja maior espaço para reajustes no decorrer da primeira quinzena do mês. Além da entrada dos salários na economia precisa ser considerado uma nova rodada do auxílio emergencial, fomentando o consumo de produtos básicos, incluindo carne bovina.

“Logicamente o impacto será maior sobre os cortes mais acessíveis, a exemplo dos cortes do quarto dianteiro. A limitação do funcionamento de restaurantes, bares e de outros estabelecimentos segue prejudicando o consumo de cortes nobres”, diz.

Com isso, o corte traseiro seguiu em R$ 20,50 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 17,55 o quilo, com alta de cinco centavos, e a ponta de agulha permaneceu em R$ 17,30 o quilo.

Fonte: Canal Rural.

This post was published on 6 de abril de 2021

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Exportações de carne bovina do Uruguai estão se recuperando

As exportações uruguaias de carne bovina se recuperaram no primeiro trimestre de 2021 quando comparadas… Read More

14 de abril de 2021

Estudo: Produção bovina pode diminuir emissão de GEE até 50% através de práticas eficientes

Uma equipa de investigação liderada pela Universidade Estadual do Colorado descobriu que a indústria da… Read More

14 de abril de 2021

Exportações de carne em março aumentam 37,7% em relação ao mês anterior em MT

As exportações mato-grossenses de carne bovina em março de 2021 aumentaram 37,7% em relação a… Read More

14 de abril de 2021

MS está entre os estados com maior adoção de sistemas de integração e plantio direto no Brasil

Na semana em que celebramos o Dia Nacional da Conservação de Solos, Mato Grosso do… Read More

14 de abril de 2021

Carne bovina: ‘Brasil pode passar a exportar 35% da produção em breve’

A arroba do boi gordo segue em alta nos mercados físico e futuro. Quem vê… Read More

14 de abril de 2021

Frigoríficos brasileiros operam com margens abaixo de 3%, diz fonte

A disparada do boi e o cambaleante mercado doméstico reduziram as margens dos frigoríficos a… Read More

14 de abril de 2021