Categories: Giro do Boi

Pecuaristas aumentam produção após interesse da China na carne de MT e alta nos preços

A abertura no mercado de exportações para a China e o aumento do preço da arroba fizeram com que os pecuaristas investissem mais em confinamento, na região norte do estado. Tem produtor que aumentou o número de baias e de animais embarcados para o frigorífico.

A propriedade de Eusébio Zonta, pecuaristas de Sinop, a 503 km de Cuiabá, conta, atualmente com 5 mil animais. Ele investiu na estrutura para que possa receber mais 3 mil cabeças e aumentar o volume de animas engordados e encaminhados para abate.

Segundo ele, o último lote foi para o frigorífico no valor de aproximadamente R$ 150 a arroba.

“Resolvi investir na estrutura porque na período de chuva ficava inviável trabalho, agora, da forma que fizemos, é possível manter a engorda mesmo com tempo chuvoso”, afirmou ele.

Vendo as vantagens, o pecuaristas Rodrigo Prante também apostou no confinamento. Ele iniciou as atividades há dois anos, e conta com pouco mais de 4 mil cabeças atualmente. Entretanto, o objetivo é chegar a seis mil animais.

Segundo ele, além do bom preço da arroba, outra notícia que dá ainda mais ânimo ao pecuarista, é a abertura do mercado da carne bovina para a China. Rodrigo também percebe que o mercado interno se mantém aquecido.

“Primeiro esse comunicado que a China vai entrar comprando carne brasileira, que foi o que proporcionou esse superávit na carne. Além disso, o brasileiro tá consumindo cada vez mais carne, então quanto antes eu poder chegar ao prato, melhor”, argumentou Rodrigo.

Tem outro fator que está contribuindo com os pecuaristas da região: a utilização do ddg na alimentação do gado. O produto é um concentrado proteico de milho, produzido por usinas de etanol que usam o cereal. Ele é misturado a farelo de milho, capucho de algodão e outros produtos. Essa possibilidade tem diminuído os custo de produção, além de possibilitar melhor ganho de peso.

Segundo os pecuaristas, com esse composto, em 110 dias, as fêmeas estão indo para o abate. No caos dos bois, o período é 95 dias.

Fonte: G1.

This post was last modified on 7 de outubro de 2019 12:01

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Por que lucratividade é muito mais importante do que produtividade na sua fazenda?

Por que é tão importante falar de lucratividade versus produtividade? A primeira coisa é: são dados reais! Existem poucos bancos… Read More

28 de janeiro de 2020

Efeito do coronavírus no consumo de carne: “O que está acontecendo não é bom”, diz empresário uruguaio

O surto do coronavírus está alarmando o mundo, especialmente a China e outros países da Ásia, e está causando um… Read More

28 de janeiro de 2020

EUA: Futuros de gado caem em meio a temores de coronavírus

Na sexta-feira, o futuro dos bovinos vivos e para engorda dos EUA atingiu seus preços mais baixos em meses, em… Read More

28 de janeiro de 2020

Fogo na Austrália e peste suína africana devem favorecer carne brasileira

Os incêndios na Austrália afetam a produção de carnes no país, o que deve abrir espaço para novo salto de… Read More

28 de janeiro de 2020

Mapa faz esclarecimentos sobre coronavírus

Diante da emergência do vírus identificado na China em dezembro de 2019 – Coronavírus e já detectado em vários países,… Read More

28 de janeiro de 2020

Serviço de Inspeção Federal completa 105 anos

Responsável por assegurar a qualidade de produtos de origem animal, comestíveis e não comestíveis, destinados ao mercado interno e externo,… Read More

28 de janeiro de 2020

Assista Aula Grátis "As 7 Estratégias do Lucro em Fazendas"

Quero Assistir