Pecuarista lerdo faz boi beber água suja

Boi lerdo bebe água suja! Ou será que a água suja quem vai beber no final é o dono do boi?

É só uma brincadeira, mas também uma dura realidade do rebanho brasileiro que encontro quase que todo dia.

Mas qual a importância da ingestão de água limpa?

A água é um nutriente de vital importância na nutrição animal, e muito importante na dieta do confinamento. É essencial para a vida e está presente em todos os tecidos e funções de um ser vivo, sendo o principal constituinte do corpo de um animal, podendo variar de 50 a 80% do peso vivo. O consumo diário depende de diversos fatores, como a quantidade de água contida nos alimentos da dieta, quantidade de matéria seca (MS) consumida, características dos alimentos consumidos, temperatura e umidade ambientes. Devido a esses fatores, a quantidade de água consumida por diferentes categorias animais, em diferentes situações, é bastante variável.

Para bovinos de corte, os requerimentos de água podem ser expressos de diversas maneiras: por unidade de peso vivo, unidade de peso metabólico, unidade de matéria seca ingerida, em relação à energia ou proteína ingerida, ou em relação à temperatura ambiente.

O produtor não deveria ficar apenas preocupado com a quantidade de água, mas sim, também com a sua qualidade. Um aspecto muito importante é a limpeza periódica dos bebedouros. Não há como afirmar quantas vezes os bebedouros devem ser limpos por semana, mas o importante é que nunca fiquem sujos. Você deve ser capaz de beber a água que os bois bebem!

Já visitei uma fazenda em que a água do bebedouro estava muito limpa, sempre que mostro a foto que tirei deste bebedouro escuto o comentário: “Ah, mas devem ter limpado o bebedouro há pouco tempo!”, e respondo o que vi: “Sim, eles limpam duas vezes por semana!”.

A crença de que a água parada fica com uma temperatura mais elevada e melhora o desempenho animal não faz sentido para regiões de climas tropicais. Mesmo em regiões temperadas, aquecer a água só é justificado em casos de descongelamento. A contaminação da água de poços artesianos com sais minerais pode ser outro fator a ser estudado. Qualquer suspeita deveria logo ser esclarecida com uma análise da água.

É mais que sabido que o consumo de matéria seca está diretamente relacionado com o consumo de água, e, sendo a água suja ou de má qualidade, o consumo de matéria seca será menor, consequentemente o desempenho também. Muitas vezes o produtor gasta muito do seu tempo e dinheiro com ações que visam a melhoria de alguns pontos no confinamento, quando na verdade as falhas são muito mais basais. Isto que estamos falando somente da água, nem mencionamos conforto animal.

Vejam algumas fotos de bebedouros que encontramos por aí, e lembrem, “Pecuarista lerdo é que faz boi beber água suja!”.

Bois tentando beber água

Água suja no confinamento

Artigo de Rodrigo Lemos Meirelles, nutricionista de ruminantes e Professor Saulo da Luz e Silva, FZEA/USP.

Fontes: Revista Veterinária, Revista Cultivar Bovinos (edição número 10), NRC 2001, Arquivo Agroceres Multimix.

This post was last modified on 12 de março de 2012 14:40

Share

View Comments

  • Ewerton,

    bom, isso é um grave problema principalmente devido a possível contaminação desses igarapés. O que vai ocorrer, ou pode ocorrer, depende dessa contaminação, desde parasitas a problemas mais graves como botulismo. Cisticercose é uma grande preocupação. Mas vale a pena dar uma olhada na nova legislação ambiental sobre a possibilidade deste manejo, pelo que lembro isto está proibido. Dá uma olhada.

  • Nilton

    em m3 não teria tanta importância se o bebedouro tiver boa vazão. Se você está falando de metros lineares, o ideal é termos 30 cm lineares/animal, tendo sempre 10% do rebanho com acesso ao mesmo tempo ao bebedouro.

  • Ana Luiza, primeiro peço desculpas pela demora da resposta.

    bom, infelizmente eu não conheço confinamento com tal sistema, o que me cutuca o pensamento sobre o custo dessa água. Se fosse corrente, como seria reaproveitada? ou seria direcionada para alguma lagoa de decantação? como disse, não conheço, se você conhece, gostaria muito que compartilhasse essa informação para nossa discussão.
    obrigado

  • Dr. Rodrigo e Dr. Saulo, muito importante o artigo. Gostaria de saber se ambos tem conhecimento de algum sistema de fornecimento de agua, tanto para confinamento ou semiconfinamento, no qual a entrada e saida de agua no cocho seria de grande volume, podendo ser considerada corrente, o qual poderia proporcinar cocho limpo por mais tempo???Conhecem alguma propriedade que consegue fazer isso? Agradeço a atenção.
    Ana Luiza, Médica Veterinária.

  • olá Edimara, obrigado pelo contato.

    Bom, como foi comentado no texto, a limpeza dos bebedouros não deve seguir nenhuma regra de quantas vezes ser executada, o ideal é manter sempre limpo.
    estive há poucos dias em um confinamento onde a limpeza 2 X por semana também é considerada pouco funcional, pois se suja muito mais que isso!
    lá o ideal seria mais vezes, eles tem um funcionário só para limpar os bebedouros, mas é a situação lá, cada local é uma situação específica, mas te adianto que isso é uma prática muito utilizada em vários confinamentos pelo Brasil, e nem um pouco irreal não.
    sobre limpeza com peixes, confesso que não tenho experiência não, vi isso uma vez em um centro experimental, mas não tenho os dados, o que fico com dúvida é se os peixes não sujam a água também, com fezes e compostos nitrosos.
    abraço

  • Achei o artigo muito interessante, mas acho irreal e pouco funcional, nas condições brasileiras, de proceder a limpeza 2 x por semana. E a limpeza através de peixes? Gostaria de receber informações (se possível) sobre a manutenção da limpeza dos bebedouros bovinos por peixes. É possível e funcional? Quais os peixes (tipos específicos) recomendados? Quantos peixes por bebedouros como os mostrados nas fotos acima? A limpeza feita por peixes é efetiva?

  • Luiz

    Obrigado pelo contato, de fato é um grande problema, pode ter certeza que não é só no sul da Bahia, esse é um problema nacional e infelizmente pouco comentado e refletido pelos pecuaristas, por enquanto!

    abraço

  • Luzimar

    obrigado pelas contribuições, é isso mesmo, a má utiização da água pode causar diversas doenças, e sem falar nos custos do mal manejo, pois além do custo direto da água ainda temos um não computado que é o do baixo desempenho pelo baixo consumo de água contaminada ou suja.
    abraço

Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Depois do AgroTalento, conheço meu faturamento e meus custos

Tarso Lang é natural de Santiago e é engenheiro agrícola.. Sua fazenda se localiza no município de Itacurubi. Sua relação… Read More

19 de fevereiro de 2020

Minerva Foods lucrou R$ 243 milhões no quarto trimestre

Impulsionada pela forte demanda asiática - especialmente da China -, a Minerva Foods reportou ontem um lucro líquido de R$… Read More

19 de fevereiro de 2020

Relatório do INAC mostrou que 18 de 25 frigoríficos uruguaios tiveram perdas em 2019

Em uma reunião tripartida realizada quinta-feira entre a indústria frigorífica e a Federação dos Trabalhadores da Carne e Afins (Foica),… Read More

19 de fevereiro de 2020

Crescente comércio de carne bovina da América do Sul tropeça por coronavírus

Os exportadores de carne da América do Sul, entre os maiores beneficiários de uma doença que mata porcos na China,… Read More

19 de fevereiro de 2020

Maturatta Friboi protagoniza churrasco que entra para o Guinness Book

Vinte e três mil porções de carne bovina servidas em oito horas. Essa é a marca que levou o BBQ… Read More

19 de fevereiro de 2020

JBS anuncia acordo para aquisição da Empire Packing nos Estados Unidos

A JBS S.A. comunicou que sua subsidiária indireta JBS USA celebrou um acordo de aquisição de participação acionária com a… Read More

19 de fevereiro de 2020