Os 10 melhores pratos de carne de São Paulo em 2017/2018

Filet au poivre, La Casserole

“Um clássico é um clássico é um clássico”, diz José Orenstein sobre o tradicional prato do La Casserole, bistrô francês mais celebrado de São Paulo. Tudo ali é feito como se o tempo tivesse parado, sem ameaçar os sabores e a história do prato com mudanças. O filé alto e macio é servido ao ponto (com leve crosta por fora e rosado por dentro), numa simpática caçarolinha. O molho de pimenta é escuro, denso, complexo e leva três tipos de pimenta combinados. Batatinhas com creme de leite coroam o prato, que sempre vale a pena na casa de Marie-France Henry, um dos endereços cujo charme atravessa os tempos em São Paulo. Preço: R$ 72. Onde: Lg. do Arouche, 346, República. Tel.: 3331-6283.

Steak 60, Rubaiyat

Trata-se de um corte retirado do centro no noix d’entrecôte de gado brangus (animais com peso acima de 600 quilos). A carne é assada por 12 horas em forno a lenha, depois vai para a churrasqueira, onde ganha o sabor da brasa. O prato é acompanhado por gratin de batatas e cogumelos à provençal. O corte foi lançado em comemoração aos 60 anos do Grupo Rubaiyat, aberto no fim dos anos 1950, e continua em cartaz. Preço: R$ 260. Onde: Al. Santos, 1.738, Cerqueira César. Tel.: 3170-5100.

Leitãozinho, Tanit

Cozido em baixa temperatura, o leitãozinho preparado por Oscar Bosch vem servido com um mix de texturas de cenoura, farofa e chutney de repolho roxo e maçã. “De tão delicado, o prato tem a aparência de um mil folhas”, diz Bráulio Pasmanik. “O chutney, a farofa e o creme de cenouras cuidam para que o sabor seja impressionante”. Uma das melhores pedidas no restaurante de cozinha espanhola, nos Jardins, cheio de bons pratos. Preço: R$ 71. Onde: R. Oscar Freire, 145, Jardins. Tel.: 3062-6385.

Ojo de bife com rub de urucum e sal marinho, Arturito

A casa da chef argentina Paola Carosella, senhora das artes do fogo, apresenta esse corte argentino com um toque brasileiro: rub de urucum e sal marinho. A carne é servida com molho de raiz forte. Um prato rústico e reconfortante. Preço: R$ 82. Onde: R. Artur de Azevedo, 542, Pinheiros. Tel.: 3063-4951.

Yukhoe, Komah

Aprenda a dizer yukhoe (pronuncia-se iuké) porque este steak tartare coreano é uma das atuais sensações paulistanas. É feito com tiras finas de miolo de alcatra congelado, gema curada e pera asiática, o que equilibra o conjunto com uma leve doçura. Acerto do chef Paulo Shin, que apostou nos sabores da infância depois de passar por várias casas. Preço: R$ 39. Onde: R. Cônego Vicente Miguel Marino, 378, Barra Funda. Tel.: 3569-7956.

Arroz de pato, Loup

O prato português do multicultural Loup, irmão caçula do Cantaloup, é preparado com miniarroz arbóreo nacional, cultivado no Alto do Vale do Paraíba, e leva linguiça curada e azeitonas pretas, além da carne de pato em pedaços. “É um arroz caldoso, al dente sem exagero, cheio de sabor e reconfortante, em porção generosa”, diz Lucinéia Nunes. Preço: R$ 73. Onde: R. Dr. Mário Ferraz, 528, Itaim Bibi. Tel.: 3078-0484.

Porco a San Zé, A Casa do Porco Bar

O bicho inteiro e desossado é assado por seis a oito horas em fogo baixo numa churrasqueira desenhada pelo chef Jefferson Rueda. Servido em quadradinhos que conservam, um por um, a pururuca do porco, vem acompanhado de tutu de feijão, tartar de banana e couve (ou na opção com cuscuz de legumes e hortaliças na brasa). Um clássico. Reincidente. Preço: R$ 48. Onde: R. Araújo, 124, República. Tel.: 3258-2578.

Bife noix, Martín Fierro

Corte argentino que chega à mesa fumegando, levemente queimado por fora e suculento por dentro. “É só carne, fogo e tempo corretos, numa combinação que parece básica mas não é assim tão fácil de encontrar”, afirma Heloisa Lupinacci. Especialidade da casa de Ana Massochi, esse prato vem acompanhado de salada da casa, sempre fresquinha. Preço: R$ 115 (450g). Onde: R. Aspicuelta, 683, Vl. Madalena. Tel.: 3814-6747.

Steak tartare, Oui

Clássico, temperado sem exageros, o steak tartare do Oui já virou um clássico da cidade. O dono da casa, o chef Caio Otoboni aprendeu com o craque Erick Jacquin a preparar esse prato. Vem com salada e deliciosas batatas fritas, que convidam ao ritual de usar as batatas como colher, pegando com elas a carne crua temperada – bem à moda francesa. Preço: R$ 58. Onde: R. Costa Carvalho, 72, Pinheiros. Tel.: 3360-4491.

Língua de boi ao molho périgueux, Sympa

Grande pedida. A carne é bem feita e macia como se espera de uma boa língua, mas o que eleva o nível deste prato do Sympa é a escolta: um purê de batata-doce, brilhante, aveludado e macio com minicenourinhas crocantes e pétalas de cebola por cima. E ainda tem mais, o molho é uma espécie de toffee levemente adocicado, que faz ótimo contraste com o sabor marcante da língua. Bom motivo para visitar a casa de cozinha francesa nos Jardins. Preço: R$ 65. Onde: R. Haddock Lobo, 1.002, Cerqueira César. Tel.: 3061-2295.

Fonte: Paladar, do Estadão.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar