Estagnação em medidas contra desmate
14 de janeiro de 2022
Prejuízos do agro com estiagem já chegam a R$ 47bilhões
17 de janeiro de 2022

Oferta de carne da China revisada em 7% maior no relatório do USDA

A oferta total de carne da China em 2022 é esperada em 79 milhões de toneladas, revisada em 7% maior em relação à previsão anterior e novamente superando a oferta total de carne antes do surgimento da peste suína africana (PSA), de acordo com o relatório do Serviço Agrícola Estrangeiro do USDA em 12 de janeiro.

O que impulsiona a estimativa mais alta é uma grande revisão para cima na produção de carne suína, que agora deve crescer pelo segundo ano consecutivo.

Embora os preços do suíno na China permaneçam abaixo dos níveis recordes vistos nos últimos anos, eles melhoraram desde que chegaram ao fundo do poço no outono. Os analistas esperam que os produtores menores tenham dificuldades no atual ambiente de preços; no entanto, as grandes operações tentarão cobrir os altos custos fixos associados à rápida expansão e modernização, desde que possam cobrir seus custos variáveis, pelo menos no curto prazo.

Espera-se que os estoques de porcas iniciais de 2022 na China estejam acima dos níveis do ano anterior. A produtividade também está aumentando à medida que porcas menos eficientes são abatidas, o que deve sustentar a disponibilidade de suínos no mercado, principalmente no primeiro semestre do ano.

As tendências em direção à consolidação contínua fornecerão incentivos para que as grandes operações chinesas continuem criando e comercializando suínos – supondo que o setor possa gerenciar efetivamente a PSA endêmica.

A oferta abundante de carne suína doméstica pesará na demanda de importação, fazendo com que as importações de carne suína em 2022 sejam reduzidas em 12% em relação à previsão anterior, disse o USDA no relatório. As importações de 2022 permanecem elevadas pelos padrões históricos, apesar de serem 5% menores em relação ao ano anterior. No geral, espera-se que a oferta de carne suína atinja 53,7 milhões de toneladas em 2022, uma vez que a maior produção mais do que compensa as importações mais fracas.

Veja alguns destaques do relatório:

Carne suína

• A produção global de carne suína em 2022 foi revisada em 5% maior em relação a outubro, para 109,9 milhões de toneladas, com maior produção na China, 13% acima da previsão anterior para 49,5 milhões de toneladas (+ 1% ano a ano).

• As exportações globais de carne suína em 2022 estão estimadas em 12,3 milhões de toneladas, 3% abaixo da previsão anterior, devido à demanda mais fraca do principal importador China. As importações mais baixas da China mais do que compensaram a maior demanda do Japão (+2%) e Coreia do Sul (+3%), onde a recuperação econômica e a maior disponibilidade de carne suína nos mercados internacionais apoiarão o comércio. As importações do México também estão estimadas 4% acima da previsão anterior, uma vez que a demanda reprimida do consumidor e as remessas mais altas dos Estados Unidos mantêm o comércio robusto.

Carne bovina

• A produção global de carne bovina para 2022 foi elevada com relação a outubro para 58,2 milhões de toneladas.

• As exportações globais de carne bovina para 2022 aumentaram 1%, para 12,0 milhões de toneladas, uma vez que os ganhos na Argentina, Austrália e Brasil mais do que compensaram as pequenas quedas na UE e no Japão. As importações globais permanecem inalteradas.

Carne de frango

• A produção global de carne de frango para 2022 está prevista em 100,8 milhões de toneladas, praticamente inalterada em relação a outubro.

• As exportações globais de carne de frango para 2022 aumentam 1% para 13,4 milhões de toneladas.

Fonte: Drovers, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *