Categories: Giro do Boi

O gado pode ser uma arma secreta na luta contra os incêndios florestais, dizem os especialistas. Veja como

A evidência mostra que os incêndios florestais se tornaram mais generalizados e severos ao longo dos anos, com os incêndios em curso na Costa Oeste americana mostrando uma tendência preocupante.

Os bombeiros e fazendeiros têm seus próprios truques para evitar que os incêndios comecem e para contê-los o suficiente para uma resolução bem-sucedida. Mas pode haver uma arma secreta que não tem recebido a atenção que merece.

Gado.

Pesquisadores da Extensão Cooperativa da Universidade da Califórnia decidiram avaliar quanto combustível fino – gramíneas e outras plantas conhecidas por iniciar incêndios – o gado come e como seu comportamento alimentar afeta a atividade das chamas.

A equipe concluiu que, sem o pastoreio de gado, haveria “centenas a milhares” de quilos adicionais de combustíveis por hectare terra, o que poderia levar a “incêndios maiores e mais graves”.

Os resultados do estudo da equipe ainda não foram publicados, mas eles divulgaram suas descobertas preliminares em uma postagem de blog publicada em 31 de agosto.

“Reduzir o risco de incêndio não é tão simples quanto pastar até o solo descoberto ou mesmo com baixos níveis de combustível”, escreveram os pesquisadores em seu blog. “Prevê-se que os incêndios florestais generalizados e graves aumentarão com o tempo na Califórnia. Essa ‘nova realidade’ exige que aproveitemos todas as ferramentas em nossa caixa de ferramentas de gestão para proteger a segurança pública e, ao mesmo tempo, cumprir nossos objetivos mais amplos de manejo de pastagens ”.

Os fogos planejados, também chamados de “queimadas controladas”, são frequentemente usados ​​para reduzir os combustíveis secos que podem levar a incêndios destrutivos, de acordo com o Serviço de Parques Nacionais. Esses “fogos prescritos” também são usados ​​para ajudar as espécies ameaçadas a se recuperar e limpar a terra para os animais.

O gado de corte pode ser encontrado pastando em todos os condados da Califórnia, de acordo com os pesquisadores, exceto em São Francisco. Em 2017, eles consumiram 5,26 bilhões de quilos de combustível e percorreram cerca de 7,85 milhões de hectares de pastagens principalmente privadas.

Os dados da equipe vêm de dados de safra do condado, dados do Censo Agrícola e seus próprios dados coletados ao longo dos anos. Mas, ainda assim, existem hectares de terra para pastar intocados pelo gado ou explorados muito levemente por animais, o que significa que “há oportunidades para melhorar a segurança contra incêndios”, escreveram os pesquisadores.

Também há espaço para mais vacas se juntarem à festa. A equipe descobriu que 1,8 milhão de bovinos de corte pastavam nas terras da Califórnia em 2017, mas o número de vacas lá hoje “é apenas cerca de 57% de seus números máximos na década de 1980”.

Às vezes, os produtores deixam propositalmente restos de folhas secas em pastagens para proteger outros aspectos do meio ambiente, como a futura produção de forragem, proteção contra a erosão do solo e defesa contra certas ervas daninhas, explicaram os pesquisadores.

Geralmente, os combustíveis finos devem ser mantidos em ou abaixo de 1360 a 1475 quilos por hectare durante a primavera e o verão para garantir que as chamas, se um incêndio começar, fiquem abaixo de 1,2 metros – o “limite crítico que permite aos bombeiros acessar com segurança uma área do solo sem equipamento pesado”, disse a equipe.

As condições podem variar dependendo dos níveis de temperatura, vento e umidade, acrescentaram.

“Essas estimativas de remoção de combustível são baseadas nos melhores dados disponíveis, mas esses dados não descrevem os detalhes complexos e a variação do gado pastando em todo o estado”, escreveram os pesquisadores. “Há uma necessidade de uma contabilidade mais consistente e precisa dos números de gado e hectares de pasto em todo o estado para entender melhor o impacto do pasto sobre os combustíveis de fogo.”

Fonte: The Sacramento Bee, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 15 de setembro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Governo espanhol investe € 5,2 milhões em projeto de carne cultivada

O governo espanhol vai investir em um projeto de carne cultivada de € 5,2 milhões… Read More

22 de janeiro de 2021

CEPEA: Preço médio sobe quase 7% em jan/21, a maior alta da série para o período

Em janeiro, a arroba do boi gordo negociada no mercado paulista (Indicador CEPEA/B3) registra média… Read More

22 de janeiro de 2021

Biden anuncia retorno dos EUA ao Acordo de Paris

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou o retorno dos Estados Unidos ao Acordo… Read More

22 de janeiro de 2021

Milho para a pecuária vai ser mais caro em 2021

Pecuarista, prepare-se se na dieta do seu gado está a compra de rações e grãos.… Read More

22 de janeiro de 2021

Indonésia importará gado e carne para preencher lacuna no abastecimento doméstico

A Indonésia importará 502.000 cabeças de gado e 85.500 toneladas de carne bovina para ajudar… Read More

22 de janeiro de 2021

IMAC pretende promover a produção sustentável da carne brasileira para outros países

Nesta quinta-feira (21), o Instituto Mato Grossense da Carne informou que pretende promover a carne… Read More

22 de janeiro de 2021