Categories: Giro do Boi

Novas medidas de prevenção contra a covid-19 na China podem afetar entrada de carne do Brasil

Medidas prevenção que estão sendo adotadas pelo governo chinês para combater o ressurgimento da codiv-19 em Pequim poderão afetar as exportações brasileiras de carnes, segundo relato enviado ao Itamaraty pela embaixada do Brasil no país asiático, apurou o Valor.

Por causa das novas exigências, que geram mais custos e incertezas, alguns importadores já suspenderam as compras e pediram que cargas já contratadas não sejam embarcadas para a China, segundo a mensagem da embaixada brasileira em Pequim.

Segundo o relato da diplomacia, pesquisadores do Centro para Prevenção e Controle de Doenças (CPDC) chinês anunciaram que, segundo dados preliminares, o vírus que voltou a atingir Pequim seria de uma variedade que passou por mutação na Europa.

O CPDC estuda a hipótese de que a contaminação possa ter ocorrido por meio de salmão importado. Embora pescados não possam ser vetores da doença, o argumento em Pequim é que o produto poderia ter sido contaminado durante a captura ou o transporte.

A embaixada brasileira em Pequim relata que, como medida preventiva, o Bureau Municipal para Regulação de Mercado anunciou que reforçará a inspeção de alimentos frescos e carnes congeladas. Por sua vez, vários municípios chineses determinaram a suspensão da importação e comercialização de pescados e de carne bovina importados.

O relato enviado a Brasília diz que, segundo empresários brasileiros, a orientação dada pelo governo chinês a grandes empresas importadoras tem sido realizar testes de ácido nucleico em amostras de carnes importadas, durante o desembaraço aduaneiro.

A conclusão é que, a depender dos resultados da investigação sobre a origem da contaminação no mercado de alimentos de Pequim, as autoridades chinesas poderão eventualmente impor restrições à importação de carnes brasileiras e/ouedir mais informações sobre medidas preventivas adotadas pelos frigoríficos para evitar a contaminação de alimentos a serem exportados — a China é o principal
destino das exportações brasileiras de carnes.

O Ministério da Saúde chinês combate o surgimento do novo foco da infecção em Pequim. No total, 258 novos casos foram registradas desde a semana passada na capital. Mas as autoridades dizem que a situação “está sob controle”.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 18 de junho de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Aproveite o final de semana para maratonar as 4 aulas do 14º Workshop AgroTalento

Domingo (25/10) à meia noite, o replay das 4 Aulas do 14º Workshop AgroTalento sai… Read More

23 de outubro de 2020

Grupo de trabalho da Tyson examina a segurança COVID-19 para funcionários

A Tyson Foods Inc. apresentou um relatório de 10 páginas de um grupo de trabalho… Read More

23 de outubro de 2020

Tocantins estende prazo da declaração da vacinação contra a febre aftosa para até 31 de dezembro

O Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) dilatou o prazo… Read More

23 de outubro de 2020

Mato Grosso coloca 2022 como meta para ser livre de aftosa sem vacinação

Os produtores de Mato Grosso avançaram nas discussões sobre a conquista definitiva do status de… Read More

23 de outubro de 2020

Fundo SPS vai contra o BNDES e apoia JBS

A disputa entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a JBS… Read More

23 de outubro de 2020

Parlamento Europeu aprova resolução para combater desmatamento que mantém pressão sobre o Brasil

O Parlamento Europeu aprovou nesta quinta-feira (22) uma nova resolução para combater desmatamento que mantém… Read More

23 de outubro de 2020