Categories: Giro do Boi

MT registra ligeira reação nos preços do boi gordo no mês de maio

O mercado do boi gordo registrou uma ligeira recuperação dos preços nesta última semana do mês de maio. Apesar da pressão de baixa que ainda se faz presente no mercado, que vem atuando praticamente desde o final do ano passado quando a oferta de fêmeas para o abate se fez de maneira mais intensa, o preço médio da arroba do boi gordo em Mato Grosso aparentemente encontrou um suporte na faixa dos R$ 83.

A partir deste ponto a opção pela permanência dos bois no pasto é grande entre os pecuaristas do Estado, restringindo parte da oferta e, consequentemente, dificultando as compras dos frigoríficos. Com isso, apesar da ligeira redução nas escalas de abate as indústrias do Estado ainda trabalham dentro de sua zona de conforto, com as escalas geralmente entre seis dias. Apesar de algumas diferenças no cenário, o fato é igual ao encontrado no ano passado, quando a forte pressão de baixa exercida no mercado no mês de maio foi interrompida a partir do mês do início do mês de junho, quando os preços encontraram firmeza, próximo dos R$ 86/@.

Oferta e demanda

O preço médio da arroba do boi gordo registrou uma ligeira reação a partir do final da semana passada. A oferta mais restrita de bois terminados para o abate reduziu a escala de abate média dos frigoríficos, que até o dia 18 marcava 8,5 dias de média, e recuou chegando à casa dos 6 dias no final desta semana. Com isso, a média móvel dos últimos 5 dias da arroba retornou ao patamar que havia iniciado a semana passada, ainda trabalhando em níveis inferiores aos do final do mês passado, quando trabalhava na casa dos R$ 84/@. Apesar da pressão de baixa ainda presente no mercado, em grande parte em função da oferta de fêmeas, as chuvas fora de época observadas em maio favoreceram as condições das pastagens em em algumas condições retirando parte da pressão da oferta.

Preços da semana

Na média semanal do Estado o preço da arroba do boi gordo à vista ficou em R$ 83,22, uma variação positiva de 0,43% em relação ao último preço, quando a arroba era cotada a R$ 82,86. Da mesma forma, a arroba da vaca obteve um incremento de 0,30%, hoje cotada a R$ 74,92.

Noroeste: A arroba do boi gordo à vista foi cotada na região a R$ 82,47, alta de 0,39% em relação à última semana, quando a arroba esteve cotada a R$ 82,15.

Norte: Com um incremento de R$ 0,59 em seu preço, a arroba do boi gordo à vista no norte do Estado foi cotada a R$ 83,13, variação positiva de 0,72%.

Nordeste: Com a maior variação do Estado, o nordeste obteve uma valorização no preço médio da arroba de 0,89%, cotada a R$ 82,05, e um incremento de R$ 0,72 em seu preço.

Médio-Norte: A arroba segue cotada nesta porção do Estado a R$ 82,94, uma variação positiva de 0,27% em relação ao preço da arroba do boi gordo da média da última semana.

Oeste: Com o preço mais estável dentre todas as macrorregiões do Imea, o preço da arroba nesta parte do Estado obteve valorização de 0,08%, seguindo cotado a R$ 83,68. Comparando com a última média semanal isso representa um valor R$ 0,07 maior.

Centro-Sul: A região centro-sul de Mato Grosso apresentou alta de 0,18% em seu preço médio da arroba do boi gordo à vista, cotada a R$ 84,40. Isso representa um preço R$ 0,15 maior que o da média semanal anterior, quando esteve cotada a R$ 84,24.

Sudeste: Negociada a R$ 84,00, no município de Rondonópolis, a arroba do boi gordo à vista na região obteve valorização semanal de 0,36%, representando uma alta de R$ 0,30 no preço médio e terminando cotada a R$ 83,83.

Reposição:

Apesar da queda de 2,07 para 2,01, a relação de troca entre o bezerro de 12 meses e o boi gordo (16,5 @), no mês de maio, ainda é superior à registrada nos respectivos meses dos anos de 2010, 2009 e 2008. Enquanto o valor médio da cabeça do animal jovem registrou desvalorização de 2,6%, saindo de R$ 704/cabeça para R$ 685/cabeça, o preço médio pago pelo boi gordo em Mato Grosso obteve uma maior queda, de 5,2% em 12 meses. Apesar de o preço do bezerro ter se comportado de maneira mais firme no último ano, foi o boi gordo que acumulou maior valorização na comparação em um período de dois anos, com alta de 14,9%, enquanto o bezerro obteve um aumento de 1,9%, fazendo com que a relação passasse de 1,78 em maio de 2010 para 2,01 no último mês.

Fonte: IMEA, adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 5 de junho de 2012

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Produção de carne bovina nos EUA cai 21% em abril por conta do coronavírus

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a produção de carne nos Estados Unidos… Read More

25 de maio de 2020

Fechada para clientes, churrascaria assa carne na calçada na zona leste de SP

Desde as 3h deste domingo cerca de 80 quilos de costela permaneceram rodeadas de fogo,… Read More

25 de maio de 2020

Marfrig tem 25 casos positivos de covid-19 em funcionários de unidade de Várzea Grande (MT)

A Marfrig Global Foods foi notificada sobre testes positivos para covid-19 em 25 funcionários de… Read More

25 de maio de 2020

Ajustes em frigoríficos vieram para ficar, afirma especialista

As medidas de segurança adotadas no ambiente frigorífico para tentar mitigar o risco de contaminação… Read More

25 de maio de 2020

Cadeia de fornecimento da indústria de carnes está falhando, mas fazendas menores ainda podem atender às necessidades dos consumidores nos EUA

Will Harris ficou alarmado com as notícias de produtores sacrificando seus animais porque matadouros e… Read More

25 de maio de 2020

Brasil alcança abertura de 60 mercados para produtos agropecuários

O Brasil alcançou a marca de 60 mercados externos abertos para produtos agropecuários desde janeiro… Read More

25 de maio de 2020