Mintel: carne continua sendo primeira opção de proteína no Canadá

Proteínas de origem vegetal estão ganhando popularidade no Canadá, mas a carne continua sendo a primeira opção para muitos, afirmou a empresa de pesquisa de mercado Mintel.

A preferência por carne foi a principal razão pela qual os consumidores canadenses deram para não comer alternativas à carne, descobriu Mintel, enquanto 42% dos entrevistados relataram não gostar do sabor das alternativas à carne. Um em cada cinco consumidores classificou o preço como uma barreira para tentar alternativas de carne, dizendo que os produtos são muito caros.

Apesar desses desafios, um número crescente de canadenses está adotando proteínas alternativas, com 53% dos consumidores canadenses relatando que comem alternativas à carne, incluindo 18% que dizem que comem algumas vezes por semana, segundo a pesquisa da Mintel.

Os itens mais comuns que os consumidores canadenses comem incluem hambúrgueres sem carne (34%) e aves sem carne (32%). Mas 27 por cento dos canadenses dizem que comeram cachorros-quentes sem carne, produtos fatiados sem carne (26 por cento) e bacon sem carne (23 por cento), o que indica que outras alternativas à carne estão ganhando força entre os consumidores canadenses.

Curiosamente, os consumidores que compram alternativas de carne querem que os produtos se assemelhem a carne. A Mintel informou que 31 por cento dos consumidores procuram por sabores parecidos com carne e um quarto, ou 24 por cento, procura por texturas semelhantes à carne ao comprar alternativas à carne. Gregoire disse que os fabricantes de produtos alternativos de carne têm espaço significativo para melhorar a percepção dos consumidores sobre as alternativas à carne.

O teor de proteína foi um critério bastante considerado entre os consumidores canadenses que relataram comprar alternativas à carne, com 40% dos entrevistados identificando o teor de proteína como uma qualidade importante na compra de alternativas à carne.

Ainda assim, fontes tradicionais de proteína, como ovos (86%), nozes (76%), produtos à base de laticínios (75%) e feijões (71%), permanecem para os consumidores canadenses preocupados com proteínas. Mas o interesse em proteínas mais exóticas apresenta uma oportunidade para os fabricantes ganharem tração entre os consumidores, de acordo com a Mintel. Embora os entrevistados tenham dito que atualmente não os consomem, 21% disseram que estão interessados em experimentar proteínas de ervilha, 26% querem experimentar espirulina e 12% expressaram interesse em insetos (por exemplo, grilo em pó).

“À medida que a demanda por proteína em alimentos fora da carne e outros produtos de origem animal cresce, o espectro de proteínas que os consumidores estão interessados, ou pelo menos dispostos a comer, parece estar se ampliando, com muitos citando interesse em emergentes “proteínas que vão desde insetos a algas”, observou Gregoire.

Fonte: http://www.meatpoultry.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar