Mesmo com Carne Fraca, Brasil lidera vendas à UE

Apesar dos percalços nas relações com a União Europeia (UE), sobretudo depois dos embargos decorrentes da Operação Carne Fraca, o Brasil manteve a sua liderança nas exportações de produtos agrícolas para o bloco. Além disso, o país foi o que mais aumentou as vendas, em valor, entre novembro de 2017 e outubro de 2018, segundo dados da Comissão Europeia.

Contando ainda com o Reino Unido, os 28 países da UE gastaram, ao todo, €115,2 bilhões nas importações de produtos agrícolas no período. Principal origem, o Brasil foi responsável por cerca de 10% das importações, em valor. A UE desembolsou €12 bilhões nas compras de produtos brasileiros, incremento de 2,6% comparado ao período anterior.

O valor das importações procedentes do Brasil aumentou em € 299 milhões, o maior entre os fornecedores do bloco europeu. Com isso, o Brasil acumulou um superávit de €10,2 bilhões no comércio agrícola com a UE. No período, o país gastou apenas €1,8 bilhão em produtos europeus.

Na lista de fornecedores da UE, somente os Estados Unidos ficam próximos do Brasil como grande fornecedor de produtos agrícolas à Europa. As compras de produtos americanos custaram €11,5 bilhões. Na terceira posição, vem a China, com €5,5 bilhões. A Argentina é o quarto, com €5,1 bilhões. A receita com as vendas do país sul-americano caiu 10,7%.

No geral, os europeus importaram principalmente cereais, frutas, óleo de oliva e carne de frango.

Fonte: Valor Econômico.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar