Mesa Redonda Global para Carne Sustentável estabelece cinco prioridades para a próxima década

A Mesa Redonda Global para Carne Sustentável realizou sua assembleia geral em Christchurch, Nova Zelândia, na semana passada. Como presidente da Mesa Redonda Canadense para Carne Sustentável, Anne Wasko estava lá e compartilha sua visão e experiência abaixo:

Como atual presidente da Mesa Redonda Canadense para Carne Sustentável (CRSB), tive o prazer de representar a CRSB na recente Mesa Redonda Global para Carne Sustentável (GRSB) na Nova Zelândia.

O GRSB é uma iniciativa global com várias partes interessadas, desenvolvida para promover a melhoria contínua da sustentabilidade da cadeia de valor global da carne bovina por meio de liderança, ciência e engajamento e colaboração com várias partes interessadas. A GRSB prevê um mundo em que a carne bovina é uma parte confiável de um próspero sistema alimentar, no qual a cadeia de valor da carne bovina é ambientalmente saudável, socialmente responsável e economicamente viável.

A reunião em si se concentrou em alguns tópicos importantes para o GRSB, incluindo uma atualização no plano de comunicações e uma atualização no plano estratégico para o GRSB para a próxima década. O GRSB acredita que alcançou um nível de sucesso na comunicação sobre a sustentabilidade da carne bovina, mas foi amplamente focado no público interno. É desejo do conselho da GRSB expandir o escopo e o alcance de seus esforços de comunicação para ter uma presença mais global e um público mais amplo, incluindo consumidores, influenciadores, ONGs e outras indústrias com interesse na produção de carne bovina.

O plano estratégico da organização para 2030 analisa cinco áreas prioritárias, incluindo:

1) Estabelecer um número limitado de “Metas Globais” para a Rede GRSB;
2) Comunicar para garantir que a carne bovina seja uma parte confiável de um próspero sistema alimentar;
3) Suporte à rede da mesa redonda;
4) Desenvolver um sistema de informação para relatar o progresso dos Objetivos Globais; e,
5) Desenvolver e fortalecer parcerias para atingir os Objetivos Globais.

Agora, o trabalho começa a estabelecer essas metas com a contribuição dos membros.

A rede de mesas redondas agora inclui 24 países: Canadá, EUA, Brasil, Paraguai, Argentina, Colômbia, México, Austrália, Nova Zelândia e seis países da UE (com mais devendo entrar), oito países da África do Sul e uma iniciativa na China.

Sabemos que o setor de carne bovina é global e pode ser afetado por eventos em qualquer lugar do mundo. Frequentemente ouvimos números e questões amplamente citadas como globais (não canadenses). Também sabemos que os de menor desempenho podem proporcionar os ganhos mais significativos globalmente em termos de pegada de carbono. O Paraguai sediará a Conferência Global bienal sobre carne sustentável, de 21 a 25 de setembro de 2020.

Assim como qualquer reunião ou conferência canadense sobre carne bovina, uma das partes mais valiosas é a criação de redes e o conhecimento do que está acontecendo em outras partes do mundo em termos de sustentabilidade da carne bovina. Outros países também estão muito interessados ​​em ouvir o que o Canadá está fazendo com sua mesa-redonda e a Estrutura de Carne Certificada Sustentável.

A nossa é a primeira estrutura sustentável certificada e baseada em resultados do mundo e, com um ano de experiência, podemos agora apontar para o progresso que temos visto em termos de volume de carne bovina sustentável certificada vendida (um aumento de 45% em relação à última ano).

Mas o trabalho nunca está temrinado – como dizemos no mundo da carne sustentável – a jornada continua.

Artigo de Anne Wasko, produtora rural do oeste de Saskatchewan e analista de mercado de carne bovina na Gateway Livestock Exchange.

Fonte: Realagriculture.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar