Menos no Uruguai, as exportações de carne do Mercosul crescerão em 2020

As exportações de carne bovina dos países do Mercosul aumentarão – cerca de 12% – em 2020, principalmente devido à forte demanda da China.

Isso decorre das projeções do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) sobre o comércio mundial de carne.

No Brasil, é onde haverá o maior aumento de colocações externas de carne no próximo ano, com um aumento de 16%.

No Uruguai – com uma oferta interna limitada – as exportações de carne no próximo ano não sofrerão alterações em relação a 2019, com um volume de cerca de 450.000 toneladas.

No caso do Paraguai, espera-se uma expansão de 9% nas exportações, embora este país não exporte para a China continental.

Para a Argentina, o USDA projetou um crescimento de 10,7% nas exportações de carne bovina, que alcançariam 775.000 toneladas.

A mídia argentina destacou que – se as projeções forem confirmadas – as vendas externas de carne bovina acumulariam um crescimento de quase 317% em cinco anos.

“As exportações argentinas serão consideráveis, pois o consumo doméstico permanece estagnado”, afirmou o relatório do USDA. A análise acrescentou que este país “está bem posicionado para se beneficiar de importações recordes da China”.

Em setembro – os últimos dados oficiais – as exportações de carne bovina da Argentina totalizaram US $ 298 milhões, um aumento de 72,4% em relação ao mesmo mês do ano passado. Medidas em volume, as colocações aumentaram 61,6% ano a ano, com um aumento de 6,7% no preço médio de exportação.

Fonte: El Observador, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar