Meat Business Women foi reconhecida pela ONU como uma solução para um dos seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

O grupo da indústria Meat Business Women foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma solução para um dos seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

A presidente da Meat Business Women Laura Ryan foi convidada para ser a oradora convidada na sessão da Comissão Econômica das Nações Unidas para a Europa no início deste mês.

A audiência internacional de especialistas do setor ouviu como a Meat Business Women vem crescendo em um ritmo acelerado no Reino Unido, Irlanda, Austrália e Nova Zelândia e está ajudando ativamente a mostrar o setor de carnes como uma escolha positiva de carreira para talentos femininos, criando oportunidades de networking para aquelas que já trabalham no setor.

A apresentação de Ryan se concentrou nos benefícios comerciais de ter uma diretoria de empresas equilibrada por gênero e uma fonte orgânica de talentos. “Nossa indústria está sob cerco no momento e precisamos ser proativos em demonstrar que somos um destino de carreira positivo e que alimenta talentos. O que a Meat Business Women criou é uma rede global positiva que beneficia nosso setor e, mais importante, é uma boa notícia para a indústria em nível internacional ”.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU são o projeto para alcançar um futuro melhor e mais sustentável para todos até 2030. Eles visam enfrentar os desafios globais, incluindo aqueles relacionados à pobreza, clima, degradação ambiental, prosperidade e igualdade de gênero.

Ryan disse que, como resultado da conferência, há um interesse significativo em lançar o Meat Business Women em outros territórios em todo o mundo, além de trabalhar com as Nações Unidas em futuros projetos do setor de carnes.

Ela acrescentou: “Ser reconhecida pelas Nações Unidas é extremamente importante para a nossa comunidade em todo o mundo, temos um calendário repleto de eventos e, como sempre, seria um prazer explorar o desenvolvimento em outros países.”

Fonte: GlobalMeatNews.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar