Categories: Giro do Boi

McDonald’s: Pasto regenerativo para fazendas de carne resilientes no Reino Unido

O McDonald’s UK e a FAI Farms Ltd são pioneiros no Adaptive Multi-Paddock Grazing (AMP) para construir solo, reduzir insumos, aumentar a biodiversidade e resiliência agrícola.

O setor de carne bovina está sob pressão para responder à nossa emergência climática. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU disse que as emissões de dióxido de carbono devem “diminuir cerca de 45% em relação aos níveis de 2010 até 2030” e reduzir 7,6% a cada ano a partir de 2020 para chegar a zero líquido em 2050. Estratégias de sustentabilidade e zero líquido não será o suficiente. A agricultura regenerativa oferece um caminho para criar um sistema alimentar que retira mais carbono do que emite, ao mesmo tempo que restaura a qualidade do solo, aumenta a biodiversidade e melhora a resiliência do agricultor.

De acordo com o Rodale Institute, “se convertêssemos todas as terras agrícolas e pastagens em agricultura regenerativa, poderíamos sequestrar mais de 100% das atuais emissões anuais de CO2.”

O McDonald’s UK & Ireland e a FAI Farms Ltd iniciaram um projeto pioneiro para entender melhor os impactos, barreiras e benefícios da agricultura regenerativa usando Adaptive Multi-Paddock (AMP) Grazing para gado de corte. O aprendizado está sendo capturado e usado para desenvolver uma plataforma de aprendizado para produtores de carne bovina do Reino Unido e da Irlanda que estão fazendo a transição em suas próprias fazendas.

Clare Hill, Diretora de Agricultura Regenerativa da FAI Farms, disse: “A agricultura regenerativa representa um caminho para um novo futuro climático. Trabalhando com a natureza, administramos nosso gado e plantações com o objetivo de reavivar a saúde e a vitalidade de nossos ecossistemas e comunidades rurais. ”

Os agricultores que adotam métodos regenerativos demonstraram melhorias no bem-estar mental, produtividade, resiliência e lucratividade.

O pastejo AMP envolve cada fazenda com um plano de pastejo sob medida, e as decisões são tomadas com base em princípios e não em prescrições. Os princípios regenerativos incluem a inexistência de solo descoberto, maximizando a profundidade da raiz deixando o pasto crescer por muito tempo e otimizando o impacto sobre os animais, por meio de pastoreio intensivo e longos períodos de descanso.

Esta abordagem diferente para a agricultura requer uma mudança de mentalidade daqueles que trabalham na fazenda.

“Nós vemos as coisas de forma diferente agora. Procuramos as causas básicas dos problemas, em vez de tratar os sintomas. Estamos plantando mais pasto e mantendo nosso solo coberto, ajudando com a resiliência a enchentes e secas, e nossos ganhos diários de peso vivo são melhores do que nosso sistema anterior de estoque ”, disse Hill.

O escopo para escalar a agricultura regenerativa em cadeias de abastecimento inteiras e compreender os métodos de transição de grandes fazendas com foco comercial em nosso clima temperado é relativamente inexplorado – nem foi estudado usando métodos científicos robustos. A FAI e o McDonald’s estão investigando como pode ser a transição entre mais fazendas, revisando o impacto ético, ambiental e econômico dessa abordagem na fazenda da FAI com monitoramento detalhado de métricas, como biologia do solo, emissões de carbono, comportamento animal e ganhos diários de peso vivo.

Harriet Wilson, Gerente de Agricultura e Suprimentos Sustentáveis ​​do McDonald’s no Reino Unido e Irlanda, disse: “Estamos entusiasmados em apoiar este projeto inovador com nossos parceiros de longa data FAI Farms. Sabemos que os sistemas de pastagem oferecem uma oportunidade de garantir o futuro da indústria de carne bovina e impulsionar uma produção mais resiliente. Este programa criará um roteiro para garantir que nosso suprimento futuro de carne bovina contribua para um sistema alimentar sustentável onde as pessoas, comunidades locais, animais e o planeta possam prosperar. “

Fonte: The Cattle Site, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 26 de fevereiro de 2021

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Exportações de carne bovina do Uruguai estão se recuperando

As exportações uruguaias de carne bovina se recuperaram no primeiro trimestre de 2021 quando comparadas… Read More

14 de abril de 2021

Estudo: Produção bovina pode diminuir emissão de GEE até 50% através de práticas eficientes

Uma equipa de investigação liderada pela Universidade Estadual do Colorado descobriu que a indústria da… Read More

14 de abril de 2021

Exportações de carne em março aumentam 37,7% em relação ao mês anterior em MT

As exportações mato-grossenses de carne bovina em março de 2021 aumentaram 37,7% em relação a… Read More

14 de abril de 2021

MS está entre os estados com maior adoção de sistemas de integração e plantio direto no Brasil

Na semana em que celebramos o Dia Nacional da Conservação de Solos, Mato Grosso do… Read More

14 de abril de 2021

Carne bovina: ‘Brasil pode passar a exportar 35% da produção em breve’

A arroba do boi gordo segue em alta nos mercados físico e futuro. Quem vê… Read More

14 de abril de 2021

Frigoríficos brasileiros operam com margens abaixo de 3%, diz fonte

A disparada do boi e o cambaleante mercado doméstico reduziram as margens dos frigoríficos a… Read More

14 de abril de 2021