Marfrig Global Foods reduz em 15% o uso de água na pecuária

A Marfrig Global Foods informa em seu Relatório Anual de Sustentabilidade de 2015 ter reduzido em cerca de 15% o consumo de água em dez das unidades de sua Divisão Beef. Lançado nesta segunda-feira, o relatório integra um amplo conjunto de iniciativas sustentáveis da Companhia, entre elas as melhores práticas de bem-estar animal, tendo atingindo Tier 2 no relatório BBFAW (Business Benchmark on Farm Animal Welfare); o compromisso público com o Greenpeace de combater o desmatamento do Bioma Amazônia na cadeia da pecuária; e o monitoramento de 100% de seus fornecedores para garantir um produto ambientalmente correto de sua origem até a mesa do consumidor.

Com a implementação do Sistema de Gestão Eficiente do Uso da Água, as unidades envolvidas no projeto economizaram 1,2 milhão de m³ de água nos últimos cinco anos, passando de 7,9 milhões m³ em 2010 para 6,7 milhões m³ em 2015. O resultado é parte de um projeto que tinha como meta inicial reduzir em 2% o consumo total de água dessas plantas, minimizando o impacto das operações na comunidade e no meio ambiente.

Em 2015, os investimentos em ações na Marfrig Global Foods para proteção ambiental totalizaram R$ 7,8 milhões. A Companhia adotou sistemas de monitoramento para maximizar o uso correto e reduzir o impacto ambiental de suas ações. As iniciativas incluem investimentos significativos na utilização de energia de fontes renováveis, como casca de amendoim, maravalha (aparas de madeira) e pó de serra, além de briquete (resíduos de madeira), bagaço de cana e lenha de reflorestamento.

A Divisão Keystone, com sede nos EUA, reduziu o consumo de energia em 3,7% a partir de medidas que visaram a eficiência, indo desde a simples melhoria da iluminação à instalação de avançados sistemas de controle.

O impacto de suas ações na atmosfera é outro ponto de atenção da Marfrig Global Foods. A empresa conseguiu reduzir em 1,6% as emissões diretas dos processos próprios (Escopo 1) e em 1,3% as emissões indiretas de energia adquirida (Escopo 2).

Além disso, a Divisão Beef reforçou seu compromisso público assinado junto ao Greenpeace, não sendo identificada qualquer operação irregular nos critérios socioambientais para aquisição de animais. A auditoria, realizada durante o último ano, comprovou por amostragem que toda compra de gado passa por um processo que verifica se a propriedade de origem já foi citada em alguma das listas de trabalho escravo, esteja situada em áreas embargadas pelo IBAMA ou em desacordo com os critérios do monitoramento geoespacial. O sistema de compras da Divisão Beef impede automaticamente qualquer tentativa de aquisição de bovinos de fazendas bloqueadas, garantindo a origem do gado.

Estas e outras informações estão disponíveis no Relatório Anual e de Sustentabilidade 2015. Para ter acesso ao documento completo, acesse: http://www.marfrig.com.br/pt/sustentabilidade.

Fonte: Marfrig, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar