Mapa fiscalizará carnes bovina e suína no varejo

Depois de detectar fraudes lesivas aos consumidores com a adição de água no frango acima dos percentuais permitidos, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) decidiu ampliar a fiscalização sobre produtos agropecuários. Agora, o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) incluiu as carnes bovina e suína nas blitzes realizadas nos supermercados e outros estabelecimentos varejistas de todo o País.

“Temos recebido muitas denúncias de que estão aplicando injeção de água em cortes de carnes bovina e suína”, revelou o diretor do Dipoa, Rui Vargas. Segundo ele, algumas indústrias pedem autorização para injetar temperos nos cortes de carnes, mas acabam adicionando água ao produto. No ano passado, o Dipoa apreendeu, em São Paulo, 40 toneladas de carnes bovina e suína adulteradas dessa forma.

Ao contrário do frango, que pode apresentar até 8% de adição de água, os cortes de carnes bovina e suína não devem conter qualquer percentual de água, destacou.

De acordo com Vargas, as indústrias que estiverem praticando a fraude estarão sujeitas a penalidades, que vão desde a advertência até multa de cerca de R$ 25 mil reais, passando pela apreensão do produto no mercado varejista e interdição das linhas de produção. Os lotes que eventualmente venham a ser apreendidos em caso de fraude econômica e que estejam aptos para o consumo humano serão doados ao Programa Fome Zero.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), adaptado por Equipe BeefPoint


ou utilize o Facebook para comentar