Categories: Entrevistas

Manejar animais de forma “racional” não é tão complicado, minimiza perdas e os animais agradecem! – Stavros Tseimazides [Prêmio BeefPoint Bem-estar Animal]

O BeefPoint realizará um grande evento – BeefSummit Bem-estar Animal -,  no dia 8 de maio de 2014, no Centro de Convenções do Ribeirão Shopping, na cidade de Ribeirão Preto/SP.

O evento terá a participação especial de Temple Grandin – pesquisadora que é referência mundial em bem-estar animal. Além de palestras inovadoras, com o Prof. Mateus Paranhos da Costa e pecuaristas que são referência nas práticas de bem-estar animal no Brasil.

Estes profissionais irão compartilhar casos de sucesso e aprendizados nesta área que cresce, a cada dia, dentro da cadeia produtiva da carne. E para fechar o dia com chave de ouro realizaremos a entrega do Prêmio BeefPoint 2014 – Edição Bem-estar Animal, que irá homenagear pecuaristas, profissionais, vaqueiros e pesquisadores que são referência em bem-estar no Brasil.

O público escolherá por meio de votação online, o vencedor de cada categoria. Assim, para você – leitor BeefPoint -, conhecer melhor os indicados, nós preparamos uma entrevista com cada um deles!

Conheça Stavros Platon Tseimazides, finalista na categoria Profissional Referência em Bem-estar Animal.

Stavros Platon Tseimazides é zootecnista formado na Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” – Unesp – Campus de Jaboticabal/SP, com mestrado completo e doutorado em andamento na mesma universidade, com foco em bem-estar animal. Há aproximadamente 8 anos trabalha no Grupo Marfrig, onde é responsável pelo setor de Bem-estar Animal. Desde 2003, iniciou os trabalhos de bem-estar animal em fazendas do Mato Grosso do Sul, passando a atuar em frigoríficos a partir de 2004 e a ministrar treinamento a motoristas boiadeiros no mesmo ano.

BeefPoint: O que você implementou de diferente no trabalho de difusão dos conceitos em bem-estar animal – de forma técnica?

Stavros Tseimazides: Desde 2007 o Marfrig aceitou o desafio de intensificar as atividades de bem-estar animal, instituindo um setor específico para tratar assuntos relacionados a este tema, desde a fazenda até o frigorífico. Nesse momento, passamos a contratar pelo menos 1 pessoa para atuar especificamente com bem-estar animal dentro de cada unidade frigorifica, seguindo exigências europeias. Assim, verificamos que além de melhorar as condições dos animais que chegavam em nossas unidades, também poderíamos reduzir perdas significativas para toda a cadeia pecuária.

BeefPoint: Qual a aceitabilidade dos pecuaristas quanto a adoção de novas técnicas de manejo em suas propriedades, principalmente as focadas no manejo racional?

Stavros Tseimazides: A aceitação dos conceitos de bem-estar animal vem crescendo a cada dia. Ainda temos produtores que precisam ser convencidos, mas quando eles notam que os resultados são favoráveis, passam a aceitar a ideia. Sendo assim, os produtores precisam conhecer as técnicas aplicadas para um manejo melhor, pois apenas melhorar estruturas e dar um instrumento como uma bandeira (por exemplo) para o campeiro, não significa que ele está trabalhando de forma correta e provavelmente o resultado não virá. É nessa hora que corremos o risco do produtor passar a desacreditar na ideia.

BeefPoint: Quais as técnicas e argumentos você utiliza para convencer o seu cliente que o bem-estar animal é algo que faz a diferença em todo o ciclo da cadeia produtiva da carne?

Stavros Tseimazides: Com certeza o argumento mais forte é sempre aquele que está relacionado diretamente às questões financeiras, porém alguns produtores estão conseguindo verificar também a melhoria da qualidade do trabalho do dia a dia do campeiro.

BeefPoint: Qual o perfil de pecuarista que procura pelo seu serviço?

Stavros Tseimazides: Ainda os grandes pecuaristas são aqueles que estão na vanguarda. Acredito que os pequenos ainda têm a ideia de que melhorar o tratamento dos animais significa diretamente em gastar mais dinheiro e perder produtividade, o que não está correto.

BeefPoint: Como você descreveria sua linha de trabalho? Como o bem-estar se integra nisso? O que vem lhe trazendo mais resultados?

Stavros Tseimazides: Sempre trabalhei buscando observar muito cada contexto para tentar agir no foco dos problemas. Muitas vezes para melhorar o bem-estar dos animais, você precisa entender tudo o que acontece ao redor. Muitas vezes um problema de manejo é solucionado agindo de melhor forma com as pessoas que manejam os animais. Assim, acredito que devemos muito respeito aos animais, uma vez que eles dão suas vidas em nosso benefício.

Recentemente o grupo Marfrig foi reconhecido por duas ONGs internacionais (“Compassion in World Farming” – CIWF e “World Society for the Protection of Animals” – WSPA), através do relatório “The Business Benchmark on Farm Animal Welfare” – BBFAW, como uma empresa completa em relação a bem-estar animal. Essa é uma prova de que estamos no caminho certo!

BeefPoint: Todos sabemos que aprendemos mais com nossos erros. O que fez e deu errado? Você poderia nos contar?

Stavros Tseimazides: Acreditava que apenas a transmissão de um conceito era suficiente para que as pessoas passassem a trabalhar de forma correta. Hoje vejo que sem acompanhamento prático, as melhorias não são tão eficazes.

BeefPoint: Qual inovação e/ou novidade no setor você mais gostou dos últimos anos? O que estamos precisando inovar?

Stavros Tseimazides: Trabalhando em frigorífico acompanhei o início do desenvolvimento dos novos boxes de atordoamento com contenção total dos animais. Esses equipamentos melhoraram consideravelmente a eficácia no atordoamento, minimizando sofrimento dos animais nos últimos minutos de suas vidas.

BeefPoint: Quais seus planos em 2014?

Stavros Tseimazides: Continuar desenvolvendo o trabalho dentro das indústrias e intensificar os trabalhos junto aos nossos fornecedores (pecuaristas).

BeefPoint: Qual o maior desafio da pecuária brasileira hoje?

Stavros Tseimazides: Capacitar mão de obra e retê-la no campo.

BeefPoint: Qual o exemplo de profissional dessa área você mais admira?

Stavros Tseimazides: Temple Grandin, que disseminou conceitos muito importantes.

BeefPoint: Qual seu recado para os pecuaristas?

Stavros Tseimazides: Manejar animais de forma “racional” não é tão complicado, minimiza perdas e os animais agradecem!

Confira outras fotos que ilustram o trabalho desenvolvido por Stavros Tseimazides:

Conheça melhor o BeefSummit Bem-Estar Animal!

Prêmio BeefPoint 2014 – Edição Bem-estar Animal – Vote agora em quem é referência no Brasil!

Quer ganhar um convite? Participe da promoção de fotos BeefSummit Bem-estar Animal!

This post was published on 14 de abril de 2014

Share

Recent Posts

Rafael Tardáguila: Oferta de carne deve se adequar à menor demanda

A demanda por carne bovina cairá devido à recessão global, mas a oferta está se… Read More

29 de maio de 2020

Covid-19 infectou mais de 3 mil funcionários de frigoríficos nos EUA, diz sindicato

Mais de 3 mil funcionários de frigoríficos dos Estados Unidos testaram positivo para Covid-19 e… Read More

29 de maio de 2020

Carne bovina: mercado interno continua incerto e exportações seguem firmes

Com a baixa de oferta de animais, algumas indústrias estão oferecendo mais pela arroba do… Read More

29 de maio de 2020

Produção de carne bovina deve cair, diz Rabobank

O mais novo relatório do Rabobank indicou que a produção de carne bovina brasileira deve… Read More

29 de maio de 2020

Boi gordo: China pede renegociação à exportadoras de carne

A retração da procura pelas principais proteínas animais no mercado atacadista de São Paulo foi… Read More

29 de maio de 2020

JBS vai pedir aval do governo de SC para sacrificar 650 mil frangos

A JBS vai protocolar na Secretaria de Agricultura e no órgão ambiental de Santa Catarina… Read More

29 de maio de 2020