Categories: Giro do Boi

Justiça condena mais sete réus da Operação Carne Fraca

Sete pessoas foram condenadas e cinco absolvidas em processo derivado na Operação Carne Fraca, que desarticulou esquema de corrupção e cobrança de propina envolvendo frigoríficos e funcionários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, desde 2017. Cinco servidores públicos foram condenados à perda do cargo. A sentença, do juiz Ricardo Rachid de Oliveira, da 14ª Vara Federal de Curitiba, é a sexta decorrente das investigações da operação.

Sete pessoas foram condenadas e cinco absolvidas em processo derivado na Operação Carne Fraca, que desarticulou esquema de corrupção e cobrança de propina envolvendo frigoríficos e funcionários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, desde 2017. Cinco servidores públicos foram condenados à perda do cargo. A sentença, do juiz Ricardo Rachid de Oliveira, da 14ª Vara Federal de Curitiba, é a sexta decorrente das investigações da operação.

Flávio Cassou, médico veterinário, condenado a 5 anos e 3 meses, aderiu ao acordo de delação e leniência da J&F e terá as vantagens negociadas, como redução do tempo de pena e sua consequente substituição por serviços à comunidade. A J&F se comprometeu a pagar R$ 10,3 bilhões em acordo de leniência firmado com o Ministério Público Federal. Ele era contratado por uma das empresas e intermediava o pagamento de vantagens aos servidores.

Daniel Gonçalves Filho, que também fechou acordo de delação, era superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná e acusado de ser o chefe do esquema. Condenado a três anos e nove meses de prisão, receberá as vantagens negociadas com o MPF, como a redução de dois terços da pena.

Foram absolvidos Eraldo Cavalcanti Sobrinho, Sérgio Antônio de Bassi Pianaro, Tarcísio Almeida de Freitas e Josenei Manoel Pinto.

Veja como ficaram as outras penas:

Celso Dittert de Camargo: pena de 3 anos e 6 meses de reclusão, substituída por serviços à comunidade e multa.

Luiz Carlos Zanon Júnior: pena de 5 anos e 3 meses de reclusão, a ser cumprida em regime semiaberto.

Maria do Rocio Nascimento: 6 anos e 3 meses de reclusão, a ser cumprida em regime semiaberto.

Renato Menon: 3 anos e 6 meses de reclusão, a ser cumprido em regime aberto.

Todos os condenados têm direito de recorrer da sentença no Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 31 de julho de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Preço do Novilho do Mercosul segue perdendo força

O Novilho Mercosul voltou a cair nesta semana. O índice apurado pela Faxcarne apontou queda… Read More

25 de setembro de 2020

Equipamentos 3D são capazes de imprimir de um tudo — agora, até carnes

Em 1984, um estudante de engenharia perguntou ao americano Chuck Hull, inventor da impressora 3D,… Read More

25 de setembro de 2020

Certificação da Carne Hereford colhe resultados positivos em Santa Catarina

Assinado no final de 2019, o contrato entre a Associação Brasileira de Hereford e Braford… Read More

25 de setembro de 2020

BNDES volta a pedir ação por danos à JBS

Amparada por decisão favorável em tribunal arbitral, a BNDESPar, braço de participações acionárias do Banco… Read More

25 de setembro de 2020

Primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa já imunizou 166 milhões de animais

Os dados parciais da primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2020 mostraram… Read More

25 de setembro de 2020

Pecuária orgânica é oportunidade pós-pandemia

Atividade ainda incipiente no País, a pecuária orgânica é viável e representa uma oportunidade de… Read More

25 de setembro de 2020