Categories: Giro do Boi

JBS, Marfrig e Minerva compraram gado de fazenda ligada ao desmatamento da Amazônia

JBS, Marfrig e Minerva comparam milhares de cabeças de gado de uma fazenda em Mato Grosso ligada ao desmatamento da Floresta Amazônica desde 2018, informou a agência Reuters, com base em relatório do Greenpeace Brasil.

As três empresas compararam gado de uma fazenda chamada Barra Mansa, em Mato Grosso. Essa propriedade, por sua vez, recebeu ao menos 4 mil cabeças de gado da fazenda Paredão, localizada de forma ilegal em um parque estadual desmatado. As duas fazendas compartilham um proprietário.

Entre janeiro de 2018 e julho de 2019, a JBS comprou pelo menos 6 mil bovinos da Barra Mansa; a Minerva adquiriu 2 mil cabeças e a Marfrig, 300.

A transferência de gado de uma fazenda ilegal para outra que está regularizada do ponto de vista ambiental é uma prática conhecida como “lavagem de gado”, e acaba burlando os sistemas de monitoramento dos frigoríficos.

Dez anos após o primeiro relatório do Greenpeace que chamou atenção para a responsabilidade dos frigoríficos no desmatamento da Amazônia, o monitoramento foi aprimorado, mas o controle do fornecedor indireto de gado é atualmente a principal fragilidade. Fornecedor indireto é o criador de bezerros ou mesmo de boi magro, a depender do sistema de produção pecuária.

Procurada, a Minerva reconheceu que comprou gado da Barra Mansa, mas informou que a fazenda Paredão está bloqueada em seu cadastro de fornecedores.

“Com base nas informações divulgadas pelo Greenpeace, vamos apurar os fatos com o uso dos dados que legalmente estão disponíveis para essa análise e, caso seja encontrada qualquer irregularidade no processo de fornecimento do gado pela Fazenda Barra Mansa para a nossa unidade de Mirassol D´Oeste, as providências cabíveis serão adotadas”, informou a Minerva.

Em nota, a Marfrig informou, que a fazenda Paredão não está em seu cadastro. De acordo com a empresa, a Fazenda Barra Mansa atende a todos os critérios adotados no compromisso firmado pela empresa em 2009, de não comprar gado de propriedades áreas de desmatamento ou embargadas, sobrepostas a unidades de conservação ou terras indígena ou que utilizem trabalho análogo à escravidão.

À Reuters, a JBS afirmou que a fazenda Barra Mansa está em conformidade com as regras de compras responsáveis da empresa e que a Paredão nunca foi listada como fornecedora.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 5 de junho de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Uruguai estuda protocolo para incluir gado terminado com grãos na Cota Hilton

Membros do setor privado uruguaio e do Poder Executivo estão estudando a possibilidade de solicitar… Read More

8 de julho de 2020

Produção de grãos no país deve chegar a 251,4 milhões de toneladas impulsionada pela colheita de milho e soja

A produção brasileira de grãos deverá ser de 251,4 milhões de toneladas na safra 2019/2020.… Read More

8 de julho de 2020

Exportação de carne bovina dos EUA atinge em maio menor nível mensal em 10 anos

As exportações de carne bovina e suína dos Estados Unidos caíram em maio, refletindo, em… Read More

8 de julho de 2020

Marfrig lança programa de apoio a pequenos restaurantes

A brasileira Marfrig, segunda maior indústria de carne bovina do mundo, lançou hoje um programa… Read More

8 de julho de 2020

Inmet emite alerta vermelho para chuvas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso vermelho (grande perigo) para acumulado de… Read More

8 de julho de 2020