Indicações Geográficas ressaltam a história de produtos gaúchos tradicionais como vinhos, carnes e doces
22 de junho de 2022
PIB do Agronegócio caiu 0,8% no 1º tri, dizem Cepea e CNA
22 de junho de 2022

Janela de plantio ideal garante avanço do milho safrinha no país

A colheita da safrinha brasileira de milho deverá alcançar 89,3 milhões de toneladas neste ciclo 2021/22, segundo nova estimativa divulgada nesta terça-feira pela Agroconsult, que apresentou os resultados da expedição Rally da Safra durante coletiva de imprensa.

O volume é 1,7 milhão de toneladas maior que o projetado em maio e, se confirmado, representará um aumento de 46% ante a segunda safra da temporada passada, que foi prejudicada pelo clima. De acordo com a Agroconsult, a área da atual safrinha chegou a 16,4 milhões de hectares, mais que o previsto em maio (15,8 milhões) e 10% acima da segunda safra de 2020/21 (14,8 milhões de hectares).

Segundo a consultoria, o potencial produtivo da safrinha foi maior neste ano porque grandes produtores do grão conseguiram realizar o plantio dentro do período adequado.

Mato Grosso

“Em Mato Grosso, 80% da área foi plantada dentro da janela ideal, até a terceira semana de fevereiro, ante 47% na safra passada. É algo que vai acontecer na próxima temporada, com os produtores buscando fugir da janela de risco do plantio”, disse André Debastiani, coordenador do Rally da Safra.

Neste ano, a produtividade média estimada para Mato Grosso chega a 102,3 sacas de 60 quilos por hectare, alta de 8% sobre 2020/21.

Apesar do forte crescimento em relação à última temporada, o resultado poderia ser até melhor. De janeiro até agora, a consultoria reduziu em 7 milhões de toneladas suas estimativas de produção para a cultura devido aos problemas com a seca observados em lavouras do Sul em janeiro e fevereiro deste ano. Além disso, faltou chuva em áreas produtoras do Centro-Oeste entre março, abril e maio.

Cigarrinha

Ainda segundo a Agroconsult, a incidência de cigarrinha do milho também vem crescendo nos últimos anos. No sul de Mato Grosso do Sul, por exemplo, o percentual de lavouras com a praga era de 2% em 2019, e em 2022 o percentual saltou para 69%.

Mesmo diante dos percalços, o desempenho das lavouras sul mato-grossenses será 113% melhor, com 90,8 sacas por hectare. No Paraná, o aumento será de 113%, para 93,2 sacas por hectare. Para o Brasil, a média de produtividade está estimada em 90,7 sacos por hectare, alta de 3% sobre a safra passada.

O CEO da Agroconsult, André Pessôa, destacou, ainda, que o plantio da segunda safra vem crescendo 6,8% ao ano. Há alguns anos já responde pela grande maioria da colheita de milho no Brasil e que, por isso, não se pode mais chamá-la de “safrinha”.

Trezentos milhões de toneladas

Pessôa ainda ressaltou que o volume de produção da segunda safra de milho no país pode ajudar o país a alcançar uma colheita total de grãos da ordem de 300 milhões de toneladas no curto prazo.

“Essa safra de 300 milhões de toneladas já foi plantada, só não foi colhida. Os produtores já investiram para colher uma safra desse tamanho. Se na próxima temporada os produtores repetirem o esforço empregado e o clima colaborar, as 300 milhões não serão mais inalcançáveis”.

A consultoria também reviu para cima seu cálculo para a produção brasileira de soja em 2021/22, de 124,6 milhões para 126,9 milhões de toneladas. E projetou as exportações da oleaginosa em 76,1 milhões de toneladas. No caso do milho, os embarques poderão chegar a 43 milhões de toneladas.

Fonte: Valor Econômico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.