Commodities: Em dia de realização de lucros, grãos recuam em Chicago
18 de novembro de 2021
Aumenta a aposta em ‘bife’ plant based impresso em 3D
18 de novembro de 2021

Inmet indica chuvas acima da média em MT e, no Sul, abaixo

A previsão do tempo indica uma tendência de chuvas acima da média para boa parte do Centro-Oeste do Brasil entre novembro e janeiro, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), órgão ligado ao Ministério da Agricultura.

A expectativa é que Mato Grosso, maior produtor nacional de grãos, Distrito Federal e a região centro-norte de Goiás tenham precipitações acima do normal para o período. Para Mato Grosso do Sul e sul de Goiás, as chuvas podem ficar perto ou ligeiramente abaixo da média.

A previsão indica também temperaturas elevadas no período em toda a região. Para o sudoeste de Mato Grosso e oeste de Mato Grosso do Sul, há projeção de situações de deficiência hídrica no solo em algumas áreas. “Nas demais áreas, prevê-se para o trimestre excedente hídrico no solo acima de 100 milímetros, principalmente no centro-norte de Mato Grosso”, disse o Inmet, em nota.

Chuvas abaixo do normal no Sul

No Sul do país, as chuvas deverão ficar abaixo da média climatológica em praticamente toda a região em virtude “dos impactos que a formação do fenômeno La Niña pode causar”, diz o Inmet. “Porém, não se descarta a possibilidade de ocorrência de eventos de chuvas intensas em áreas pontuais durante o trimestre”, acrescentou.

A temperatura do ar deverá ficar próxima da média para esta época do ano na parte costeira do Sul, enquanto o restante da região deverá ter temperaturas acima da média. Há previsão de excedentes de umidade no solo de até 60 milímetros em grande parte da região, mas, a partir de dezembro, a tendência é de redução desse patamar no Rio Grande do Sul.

Sudeste

As chuvas deverão ficar dentro da média em grande parte da região Sudeste, com possibilidades de veranicos em algumas parte de São Paulo e Minas Gerais entre dezembro e janeiro.

Quanto aos níveis de umidade do solo, a previsão indica uma elevação gradual à medida que se aproxima do mês de dezembro, mas o excedente hídrico deve ficar mais alto em janeiro. “Algumas áreas pontuais no norte de Minas Gerais e oeste de São Paulo podem sofrer deficiência hídrica”, alerta o instituto.

Norte

Para a Região Norte, no Tocantins e sudeste do Pará, as chuvas podem ser próximas a média, com irregularidade entre dezembro e janeiro.

A previsão do balanço hídrico no solo indica o predomínio de déficit hídrico na parte nordeste da região, principalmente em novembro. No entanto, há chance de retorno da umidade no solo para a parte centro-sul do Norte, com valores de excedentes hídricos mais elevados em janeiro.

Nordeste

Para o Nordeste, a previsão indica chuvas acima da média histórica na parte norte da região e também no sul da Bahia. No interior, as chuvas devem ficar abaixo da média no centro-norte da Bahia, no sudeste do Piauí e no oeste de Pernambuco.

O centro-norte da região deverá ter um predomínio de déficit hídrico no solo até janeiro. Já em áreas do sul do Maranhão e do Piauí, além das partes oeste e sul da Bahia, a previsão indica níveis de umidade do solo mais satisfatórios, principalmente em janeiro.

Fonte: Valor Econômico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *