Indústria de carne do Reino Unido preocupada com o setor

A Associação Internacional de Comércio de Carne (IMTA) lançou seu manifesto para este ano de 2019 em que eles mostram sua posição sobre o papel que as importações de carne terão com o Brexit. Segundo o portal Eurocarne, as importações representaram 40,5% da carne consumida no Reino Unido em 2018 e são vitais para o abastecimento de alimentos do país.

A futura parceria econômica entre o Reino Unido e a União Europeia (UE) deve garantir o comércio mais livre e sem atrito possível, afirma a instituição.

O governo deve investir na garantia de acesso a mais mercados de exportação de carne bovina, ovina, suína e de aves britânica.

A Diretora Executiva da IMTA, Katie Doherty, disse que “com um clima político incerto, os nossos membros realmente precisam de clareza sobre como será o relacionamento de negócios para o Reino Unido com a UE e outros mercados. Nosso manifesto expõe nossos principais pedidos aos governantes para oferecer o melhor resultado possível para nossos membros e para a indústria em geral.”

A associação é líder no comércio de carne do Reino Unido e representa importadores e exportadores de carne.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar