Categories: Giro do Boi

Índice de preços globais de alimentos da FAO voltou a subir em setembro

O índice de preços globais de alimentos da Agência das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) voltou a subir em setembro, pelo quarto mês seguido. O indicador atingiu 97,9 pontos, 2 pontos (2,1%) mais que em agosto e com alta de 4,6 pontos (5%) ante setembro de 2019.

De acordo com a FAO, a alta foi puxada por cereais e óleos vegetais. Em contrapartida, os lácteos ficaram estáveis e açúcar e carnes recuaram.

No caso dos cereais, setembro marcou a terceira elevação consecutiva. O índice do grupo foi a 104 pontos, um aumento de 5 pontos (5,1%) em relação a agosto. Conforme a FAO, os preços subiram em meio a um comércio vigoroso, ao mesmo tempo em que existem preocupações com a seca nas áreas produtoras de cereais na Europa ocidental e na região do Mar Negro.

O indicador para os óleos vegetais alcançou 104,6 pontos em setembro, 5,9 pontos (6%) acima de agosto. Nesse grupo, foi a primeira alta em oito meses. Os preços da soja, canola e girassol subiram.

O índice de preços dos laticínios ficou em 102,2 pontos em setembro, mesmo nível de agosto. Os aumentos moderados nas cotações de manteiga, queijo e leite em pó desnatado foram compensados por uma queda do leite em pó integral.

Já o indicador que mede os preços das carnes atingiu 91,6 pontos em setembro, uma ligeira queda (0,9%) em relação a agosto que aprofundou a tendência geral observada desde janeiro deste ano. “Em setembro, as cotações da carne suína caíram, em parte influenciadas pela decisão da China de impor uma proibição às importações da Alemanha após a detecção da peste suína africana (ASF) entre os javalis, enquanto os preços da carne ovina diminuíram com a alta oferta sazonal da Austrália. Em contraste, as cotações de carne de frango aumentaram, impulsionadas pelo ritmo acelerado das vendas internacionais e pela oferta limitada de exportação do Brasil”, diz a FAO, em relatório.

O índice de preços do açúcar, finalmente, caiu para 79 pontos em setembro, 2,1 pontos (2,6%) menos que em agosto. “A queda nos preços internacionais do açúcar foi principalmente uma reação às expectativas de um superávit da produção global de açúcar para a nova safra 2020/21”, afirma o texto da FAO.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 9 de outubro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021