Índice de Preços dos Alimentos da FAO caiu 3,5% em 2018

O Índice de Preços de Alimentos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO)  ficou em média 161,7 pontos em dezembro de 2018, quase inalterado em relação ao seu valor de novembro, já que as cotações mais baixas de laticínios e açúcar foram compensadas por preços mais firmes e mais altos de carne e óleos.

Durante todo o ano de 2018, o índice teve uma média de 168,4 pontos, uma queda de 3,5% em relação a 2017 e quase 27% abaixo do nível mais alto de 230 pontos atingidos em 2011. Os valores de açúcar caíram mais em 2018, com preços de óleo vegetal, carne e lácteos registrando queda anual. No entanto, os preços internacionais de todos os principais cereais subiram em 2018.

O Índice de Preços de Carnes da FAO  registrou uma média de 163,6 pontos em dezembro, 1,3 pontos (0,8%) acima do valor revisado para novembro. Embora os preços das carnes de aves e bovinos tenham mudado apenas pouco em dezembro, as cotações internacionais de preço da carne de ovino caíram levemente, principalmente como resultado do aumento das exportações da Oceania. Por outro lado, os preços da carne suína recuperaram parcialmente, apoiados pela forte demanda global de importação, especialmente do Brasil.

Em 2018, o Índice registrou uma média de 166,4 pontos, uma queda de 2,2% em relação a 2017. O declínio em relação ao ano anterior refletiu quedas nos preços de carnes suínas e de aves, o que mais do que compensou as cotações de carne ovina. Nos mercados de carne bovina, os preços permaneceram próximos aos níveis de 2017.

Fonte: FAO, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar