Categories: Giro do Boi

Inac avalia perdas reais de frigoríficos após renegociação de contratos na China

A unidade de Análise Econômica do Instituto Nacional da Carne do Uruguai (Inac) está trabalhando em um relatório para conhecer com mais precisão a perda econômica que o novo cenário da China significou, após a renegociação de contratos de alguns importadores e o abandono de contêineres de outros.

O estudo, solicitado pelo Presidente Inac, é realizado em US $ 220 milhões, representando todo o volume exportado entre novembro de 2019 e 17 de fevereiro de 2020. De acordo com os possíveis cenários, a queda na receita pode variar de US $ 22 milhões, uma queda de 10% a US $ 88 milhões (- 40%).

O presidente da Associação da Indústria Frigorífica do Uruguai (Adifu) e o CEO da Marfrig para o Cone Sul, Marcelo Secco, disse que existem dados “importantes” que devem ser analisados, por exemplo, saber “qual é a perda do valor dos encargos” pela renegociação de contratos, daqueles a serem carregados e pelos negócios que não foram recebidos nos portos da China.

Secco estimou que nas próximas horas você poderá conhecer com mais clareza as perdas reais; no entanto, ele disse que até que você tenha informações detalhadas, você pode continuar lidando com a perda de 30% que foi oficializada em um relatório preliminar várias semanas atrás, em o eixo de US $ 66 milhões.

O executivo disse que eles começam a ver sinais de alguns clientes que retornam para recompor a cadeia de pagamentos de contas pendentes. “Alguns importadores começam a enviar pagamentos e outros não estão operacionais, não sabemos se é porque não estão no escritório ou porque foram substituídos”.

Ele também explicou que a logística está sendo uma questão “muito importante” e “preocupante”, uma vez que “há atrasos na chegada de navios devido ao congestionamento nos portos chineses, nem estão tendo cargas para retornar com contêineres carregados”.

O CEO da Marfrig disse que “não há razão válida” no mercado de exportação e consumo doméstico que “permita a validação de aumentos de preços” no gado gordo. “Hoje o preço do boi aumenta às custas dos bovinos da cota 481 que são especialmente caros e respeitaremos os contratos já firmados”, acrescentou.

Finalmente, ele comentou que os “preços médios do gado continuam caindo”, com o formulário de compra da empresa localizado em US $ 3,45 para novilhos em geral e US $ 3,20 para vacas. “Esses valores estão sendo comprados normalmente”, ele fechou.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was last modified on 21 de fevereiro de 2020 12:01

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Mudança na demanda global, criando desequilíbrio nas carcaças de carne bovina da Austrália

Com o impacto do COVID-19, os fatores subjacentes à demanda por carne vermelha em todo… Read More

2 de abril de 2020

Rio Grande do Sul tem 231 decretos de situação de emergência por estiagem

O Rio Grande do Sul tem 231 municípios com decretos de situação de emergência por… Read More

2 de abril de 2020

Não há notícia de falta de alimentos, diz ministra

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, a ministra Tereza Cristina disse hoje (1°) que… Read More

2 de abril de 2020

RS: vacinação contra aftosa em ritmo normal

A última etapa de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul vai… Read More

2 de abril de 2020

Ministra da Agricultura promete medidas de apoio ao agronegócio

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, confirmou ao Valor que deverá anunciar ainda esta semana… Read More

2 de abril de 2020

Queda da demanda já é um problema para caminhoneiros

A queda na demanda por serviço de transporte de carga passou a ser uma nova… Read More

2 de abril de 2020