IBGE: Abate de bovinos sobe 7,1% após greve dos caminhoneiros

No 3º trimestre de 2018, foram abatidas 8,28 milhões de cabeças de bovinos, quantidade 3,7% maior que a do 3° trimestre de 2017 e 7,1% acima da registrada no trimestre imediatamente anterior, afetado pela greve dos caminhoneiros.

O abate de 292,63 mil cabeças de bovinos a mais no 3º trimestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior, foi impulsionado por aumentos em 19 das 27 Unidades da Federação (UFs). Entre aquelas com participação acima de 1,0%, ocorreram aumentos em: Mato Grosso (+100,24 mil cabeças), Rio Grande do Sul (+71,93 mil cabeças), Tocantins (+52,33 mil cabeças), Rondônia (+52,19 mil cabeças), Paraná (+43,98 mil cabeças), Bahia (+29,43 mil cabeças), Santa Catarina (+12,08 mil cabeças), Goiás (+7,9 mil cabeças), Pará (+3,76 mil cabeças), São Paulo (+1,29 mil cabeças), Acre (+ 1,13 mil cabeças) e Maranhão (+0,84 mil cabeças).

Em contrapartida, as maiores reduções ocorreram em: Mato Grosso do Sul (- 77,80 mil cabeças) e Minas Gerais (-14,47 mil cabeças). Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,2% da participação nacional, seguido por Goiás (10,3%), e Mato Grosso do Sul (9,7%).

Aquisição de couro sobe 9,7% em relação ao 2º trimestre

No 3º trimestre de 2018, os curtumes investigados pela Pesquisa Trimestral do Couro declararam ter recebido 9,11 milhões de peças inteiras de couro cru de bovinos. Esse total, representa um acréscimo de 9,7% em relação ao adquirido no trimestre imediatamente anterior e de 4,3% frente ao 3° trimestre de 2017.

O comparativo entre os 3° trimestres de 2017 e 2018 indicam uma variação positiva de 401,52 mil peças no total adquirido pelos estabelecimentos. Os destaques positivos em números absolutos ficaram com Tocantins (+179,10 mil peças), Rondônia (+177,68 mil peças), Mato Grosso do Sul (+118,46 mil peças), Maranhão (+86,48 mil peças), Rio Grande do Sul (+69,70 mil peças), Pará (+48,59 mil peças) e Paraná (+48,03 mil peças).

As maiores reduções absolutas ocorreram na Bahia (-136,26 mil peças), São Paulo (-136,15 mil peças), Espírito Santo (-69,21 mil peças), Minas Gerais (-32,97 mil peças) e Mato Grosso (-17,78 mil peças).

Apesar da redução, Mato Grosso continua a liderar a relação de Unidades da Federação que recebem peças de couro cru para processamento, com 17,4% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (12,6%) e São Paulo (11,4%).

FONTE: IBGE – Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária – Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, Pesquisa Trimestral do Leite, Pesquisa Trimestral do Couro e Pesquisa da Produção de Ovos de Galinha.
Nota: Os dados relativos ao ano de 2018 são preliminares.

Fonte: IBGE.


ou utilize o Facebook para comentar